Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política » Prefeito de Osasco sai do PT

Política

Ivan Cruz|Divulgação

Política

Osasco

Prefeito de Osasco sai do PT

Município a cerca de 20 quilômetros de São Paulo era governado por petistas desde 2005; segundo Jorge Lapas, partido tem se deixado levar 'por visões e interesses individuais, que dividem o partido e promovem um clima de insegurança e instabilidade em nossos aliados'

0

Ricardo Galhardo,
O Estado de S.Paulo

28 Março 2016 | 22h03

O prefeito de Osasco, Jorge Lapas, anunciou nesta segunda-feira, 28, sua desfiliação do PT. Sexto maior colégio eleitoral do Estado com 560 mil eleitores, Osasco era governada pelo PT desde 2005. Lapas disputou a primeira eleição em 2012, quando foi eleito com 60% dos votos válidos para administrar o município, a 20 quilômetros da capital.

Em carta à população de Osasco, o prefeito usa o “momento delicado” do PT e divisões internas na legenda para justificar a decisão de deixar o partido ao qual era filiado há 11 anos.

Segundo fontes petistas, o destino do prefeito é o PDT. Lapas é até agora o segundo prefeito a sair do PT em São Paulo desde o início da crise política que tragou o partido. O primeiro foi Ricardo Bocalon, de Itupeva, que anunciou a desfiliação em setembro do ano passado.

De acordo com dirigentes do PT, a gota d'água para a saída de Lapas foi uma série de críticas à administração feitas por aliados do ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha que até o início deste ano cumpria pena de prisão em Brasília por envolvimento no mensalão.

 

Leia a íntegra da carta de Jorge Lapas:

 

Carta aberta à população de Osasco

Meu caro cidadão,

Nas últimas semanas fui confrontado com a necessidade de uma decisão difícil. Os amigos, as pessoas mais próximas e os que acompanham de perto o meu trabalho sabem o quanto tem me angustiado a questão política em nossa cidade.

Fui eleito prefeito de Osasco pelo Partido dos Trabalhadores, ao qual fui filiado nos últimos 11 anos. Neste período, fiz grandes amigos, aprendi muito e, principalmente, encontrei pessoas dispostas a se doarem integralmente em nome da construção de nossa cidade.

São lideranças comunitárias, partidárias, lideranças religiosas, empresários e milhares de cidadãos que uniram forças ao torno do nosso projeto de cidade para que juntos pudéssemos começar uma revolução do bem em Osasco.

Nesta jornada, todas essas lideranças foram e são consultadas o tempo todo, dentro de um entendimento de que a sabedoria coletiva é muito maior do que opiniões individuais.

No entanto, o interesse coletivo e tudo que estamos construindo até aqui está ameaçado.

Como se não bastasse o momento delicado pelo qual o PT está passando no cenário nacional, no âmbito municipal a legenda vem se deixando levar por visões e interesses individuais, que dividem o partido e promovem um clima de insegurança e instabilidade em nossos aliados.

A desunião e fragilidade resultantes dessa disputa interna transmitem para aqueles que participam conosco dos avanços de Osasco, um clima de incerteza e uma mensagem que contradiz as propostas de transformação que a legenda se propôs realizar em nossa cidade.

Por isso, por ouvir a população, e em respeito ao clamor de diversos segmentos da nossa sociedade, tomei uma das decisões mais difíceis da minha vida.

Estou seguindo um novo caminho político e me filiando ao Partido Democrático Trabalhista, o PDT. A legenda, histórica na defesa dos princípios da democracia e dos direitos dos trabalhadores brasileiros, me recebeu de braços abertos.

O que torna o momento um pouco menos difícil é o fato de que não decido isso sozinho, mas apoiado pela opinião de tantas e tantas pessoas que também amam a nossa cidade.

Faço a mudança no sentido de deixar claro aos nossos aliados e a toda nossa população, que Osasco é muito maior do que um partido ou grupo político.

Tenho confiança de que nossas lideranças comunitárias, sindicais e religiosas, nossos trabalhadores e empresários e os cidadãos de bem de Osasco não vão permitir que nosso trabalho, que nosso projeto de cidade seja interrompido por um grupo de pessoas movidas apenas por interesses pessoais, pequenos demais e incompatíveis com a grandeza de nossa cidade e o futuro de nossos filhos.

Que todos possam ter a certeza de que os avanços vão continuar.

Um forte abraço,

Jorge Lapas

Comentários