1. Usuário
Assine o Estadão
assine


'Povo brasileiro não vai desistir do que conquistamos', afirma Dilma na Bahia

Tiago Décimo, correspondente de O Estado de S.Paulo

29 Abril 2014 | 14h 29

Presidente lança ações contra seca no Nordeste e diz que governo foi o que mais criou empregos e reduziu desigualdade no País

Feira de Santana - Em um evento para entrega de máquinas agrícolas e lançamento de ações para o enfrentamento da seca no Nordeste, na manhã desta terça-feira, 29, em Feira de Santana (BA), a 110 quilômetros de Salvador, a presidente Dilma Rousseff defendeu as ações sociais realizadas pelo seu governo - e pelo de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva - e disse "ter certeza" que o "povo brasileiro não vai desistir" dos avanços que, segundo ela, foram conquistados pelos governos petistas.

De acordo com a presidente, os últimos governos criaram uma "rede" de segurança social para a população. "Uma das coisas que mais me orgulham é que atravessamos a pior seca dos últimos 50 ou 100 anos no Nordeste e não houve invasão de supermercados, não houve aquela fome horrorosa", argumentou. "Ninguém se desenvolve só com obras, é preciso ações para as pessoas. Várias coisas foram feitas para que chegássemos à segurança social. Aí, quero lembrar do Bolsa Família e do Bolsa Estiagem."

Dilma também inseriu no rol de ações sociais feitas pelos governos petistas a resposta brasileira à crise econômica mundial. "Diante da crise internacional, nós não adotamos a alternativa conservadora, que foi adotada no Brasil pelos governos mais conservadores, na qual o peso da crise recai nas costas dos trabalhadores, dos mais pobres, da classe média, com arrocho salarial, com perda de postos de trabalho, como fizeram na Europa e nos Estados Unidos", disse. "Nós passamos pela crise garantindo empregos e aumentando o salário mínimo."

A presidente disse que sua administração vai manter a mesma linha. "Nós não vamos voltar atrás e tenho certeza que o povo brasileiro não vai retroagir, desistir disso que nós conquistamos, como a maior redução da desigualdade social no nosso país, d maior criação de empregos que o Brasil teve", disse. "Nos últimos três anos e três meses, nós criamos 4,8 milhões de empregos. Esse processo tem a ver com a segurança social."

No evento, do qual participaram, além da presidente e do governador baiano, Jaques Wagner (PT), quatro ministros, parlamentares e todos os 190 prefeitos dos municípios contemplados com máquinas agrícolas - retroescavadeiras, motoniveladoras e caminhões -, a maior parte do tempo foi tomada pela entrega das chaves aos gestores municipais.

Um a um, eles eram chamados ao palco para receber a certificação. Em seguida, tiravam fotos com Dilma e Wagner e, em seguida, eram dirigidos a outro grupo, para cumprimentar, também, os candidatos de situação ao governo, Rui Costa (PT) e ao senado, Otto Alencar (PSD). Todo o processo consumiu quase uma hora da cerimônia.