Lucas Rivas/Estadão
Lucas Rivas/Estadão

Porto Alegre recebe manifestações a favor e contra Lula

Ato organizado pelo MBL reuniu poucas pessoas em tradicional ponto de encontro de opositores do petista na cidade

Lucas Rivas, Especial para O Estado

06 Abril 2018 | 22h52

PORTO ALEGRE - Apoiadores e opositores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) saíram às ruas nesta sexta-feira, 6, em Porto Alegre. O ato convocado pela Frente Brasil Popular, que defende o petista, começou às 17 horas na Esquina Democrática, no centro da capital gaúcha. Embaladas por um caminhão de som, bandeiras e cartazes, lideranças políticas de diferentes partidos de esquerda e movimentos sociais partiram em caminhada até o Largo Zumbi dos Palmares, no bairro Cidade Baixa. Diversas vias ficaram bloqueadas durante o trajeto. O ato terminou por volta das 21 horas.

+++ AO VIVO: Acompanhe a cobertura sobre a ordem de prisão de Lula

 Já a manifestação contrária ao petista, convocada pelo Movimento Brasil Livre (MBL), reuniu poucas pessoas no Parcão, tradicional ponto de encontro dos oponentes de Lula, no bairro Moinhos de Vento.

+++ Lula deve dormir em sindicato pela segunda noite seguida

Nenhum incidente ou confronto foi registrado, informou a polícia gaúcha. Na manifestação, o presidente do PT no Rio Grande do Sul, deputado federal Pepe Vargas (PT-RS), criticou as últimas decisões judiciais que pesaram sobre o ex-presidente Lula. “A decisão do juiz Moro é ilegal e imoral”, disse o parlamentar.

+++ MST faz manifestação em frente à Rede Globo em Brasília

Já o presidente da Central Única dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (CUT-RS), Claudir Nespolo, defendeu a resistência à prisão de Lula. “A palavra de ordem é resistir tal qual Mandela. Lula sairá mais forte e será presidente”, declarou.

Além de militantes, o ato contou com a presença de deputados, vereadores e ex-governadores e ex-prefeitos do PT em Porto Alegre. Para Raul Pont, ex-prefeito de Porto Alegre, Lula realizou um “ato político para o mundo" após não ter se entregado à Polícia Federal.

Enquanto manifestantes defendiam Lula no centro de Porto Alegre, um grupo de opositores começava a se concentrar nas imediações do Parcão, na Avenida Goethe. O ato organizado pelo MBL contou com a venda de Pixulecos, os bonecos infláveis de Lula - o quórum, porém, foi baixo.

Aproximadamente 20 manifestantes, vestidos de verde e amarelo, exigiam a prisão do ex-presidente. A manifestação, intitulada “CarnaLula”, tinha horário marcado para as 18 horas e ocorreu até as 21 horas. Com instrumentos e bandeiras, cinco integrantes da La Banda Loka Liberal também cantaram músicas contra o ex-presidente Lula. O ato também foi pacífico, sem o registro de tumultos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.