1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Por promover Alckmin, PSB recebe condenação em São Paulo

Sigla foi punida pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo por propaganda veiculada no ano passado que trazia pessoas elogiando o governador de São Paulo

O Tribunal Regional Eleitoral em São Paulo condenou nesta terça-feira, 25, o PSB por fazer propaganda antecipada a favor do governador Geraldo Alckmin (PSDB). O partido vai perder 5 minutos do tempo nas inserções no rádio e na TV no próximo semestre.

Segundo o TRE, a propaganda exibida em outubro do ano passado exaltava a figura do governador. Em um dos trechos, trazia a imagem de pessoas dizendo que Alckmin era uma pessoa séria. Uma delas chegava a afirmar que nem mesmo se importava com o fato de ele não ser do PSB.

"As inserções da propaganda partidária do PSB caracterizavam-se como verdadeiras exaltações das qualidades de Geraldo Alckmin, fazendo referência a ele como gestor competente, corajoso, honesto e caridoso", diz a decisão do TRE. O partido ainda pode recorrer da decisão no Tribunal Superior Eleitoral.

Reeleição. Até o grupo da ex-ministra Marina Silva entrar no PSB, também em outubro passado, a sigla estudava apoiar a reeleição de Alckmin.

Depois de meses de articulação, Marina conseguiu convencer o governador de Pernambuco e provável candidato à Presidência, Eduardo Campos, a lançar candidatura própria no Estado.

Campos indicou o nome do deputado Márcio França para a disputa. A escolha desagradou aos marineiros, que consideram França um aliado de Alckmin.

O grupo da ex-ministra criou então uma frente suprapartidária, formada por integrantes da Rede, PSB, PPS e PV para, oficialmente, discutir um programa de governo conjunto. A ideia é ganhar tempo e avançar na tentativa de lançar uma candidatura alternativa, que represente os interesses da nova política defendida pelos sonháticos.