Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Por ora, Planalto não deve se pronunciar sobre protestos deste domingo

Manifestações contra a corrupção ocorreram em mais de 200 cidades; não foram registradas faixas nem palavras de ordem contra o presidente da República

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2016 | 17h05

BRASÍLIA - O Palácio do Planalto não deve se manifestar hoje sobre as manifestações contra a corrupção que tomaram mais de 200 cidades em todo o País. De acordo com a assessoria da Presidência da República, não está prevista a divulgação de nenhuma nota.

Tanto a presidência da Câmara, quanto à presidência do Senado, principais alvos dos protestos, publicaram notas em que apoiam o caráter democrático das manifestações. O Planalto, entretanto, não deve se manifestar por enquanto.

Apesar da força das manifestações, em Brasília, Michel Temer foi poupado. Não foram registradas faixas nem palavras de ordem contra o presidente da República, apesar de o Palácio do Planalto ter receio que a onda de protestos se vire contra Temer, como mostrou o Estado na edição deste domingo.

Amedrontado pelas manifestações sociais, Temer, que até então não iria ao velório coletivo das vítimas do acidente aéreo do time de futebol Chapecoense ontem, decidiu, de última hora, participar do evento em Chapecó, Santa Catarina. Entretanto, preferiu não fazer qualquer pronunciamento. 

Milhares de brasileiros foram às ruas nesta domingo, 4, protestar contra a corrupção e demonstrar apoio à Operação Lava Jato e ao pacote anticorrupção na sua forma original, como foi sugerido pelo Ministério Público. Os protestos se revelaram  muito focados na classe política, especialmente contra parlamentares, sendo o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) o principal alvo das reclamações.

Mais conteúdo sobre:
Michel Temer Renan Calheiros Corrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.