1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Mensalao

Polícia Federal recebe mandado de prisão de Jefferson

Atualizado à 11h - Marcelo Gomes, enviado especial

24 Fevereiro 2014 | 09h 02

Ex-deputado, delator do mensalão, havia reclamado mais cedo da demora para a chegada do documento que determina sua prisão

LEVY GASPARIAN - A poucos momentos de ser preso por ordem do Supremo Tribunal Federal, o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ) apareceu, por volta das 8h30 desta segunda-feira, 24, na sacada de sua casa em Levy Gasparian, no interior do Estado do Rio, e reclamou da demora para a chegada do mandado de prisão. O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou na sexta-feira, 21, que o delator do mensalão fosse preso. No sábado, 22, a Polícia Federal informou que o mandado só sairia nesta segunda-feira, o que ainda não aconteceu.

"Essa expectativa não me deixa dormir. Eu deito, mas não durmo, mas está tudo em paz. É o destino. É angustiante, mas faz parte da luta", disse Jefferson. "Deus só dá carga para quem pode puxar. Sou 'harleyro' e botafoguense, acostumado a sofrer", acrescentou, em referência a suas duas maiores paixões, o clube alvinegro e as motos Harley Davidson.

Em entrevista à Rádio Estadão nesta manhã, Jefferson voltou a dizer que não se arrepende de ter tornado público o caso e que "faria tudo novamente". Segundo ele, após a prisão, sua defesa pretende pedir autorização para trabalhar, mas ressalvou que vai “esperar a liturgia da Justiça”. “Não adianta eu dar uma de José Dirceu, que pediu para trabalhar em um hotel com salário de R$ 20 mil, não conseguiu nada”, disse Jefferson, citando o ex-ministro da Casa Civil que cumpre pena na Penitenciária da Papuda, em Brasília.

O ex-parlamentar afirmou ainda que seus advogados já estão na Superintendência da Polícia Federal no Centro do Rio, e que até as 8h30 o mandado de prisão não havia sido emitido pelo STF. Jefferson disse que, assim que o documento chegar a Levy Gasparian, se apresentará aos agentes da PF que desde a madrugada de sábado fazem plantão em frente à sua casa e devem conduzi-lo em uma viatura à Superintendência no Rio. "A hora que (o mandado) chegar, eu vou embora, e vocês (jornalistas) vão com a gente", disse Jefferson.

O ex-deputado foi condenado pelo STF a sete anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto no processo do mensalão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. / Colaborou Luciana Nunes Leal

Mensalao