1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

PMDB-RJ mantém aval a secretário de Paes

- Atualizado: 26 Janeiro 2016 | 07h 09

Jorge Picciani disse que Pedro Paulo, acusado de agredir ex-mulher, vai concorrer à prefeitura do Rio na eleição deste ano

O presidente do PMDB-RJ, Jorge Picciani, afirmou ontem que o secretário municipal de Coordenação de Governo, Pedro Paulo Carvalho, será o candidato à sucessão do prefeito Eduardo Paes. Desde que, em outubro passado, se tornaram públicas agressões físicas e ameaças de Pedro Paulo à ex-mulher Alexandra Marcondes, denunciadas por ela em registros policiais, a candidatura do secretário estava em xeque. Padrinho político de Pedro Paulo, o prefeito sempre disse que não haveria mudanças nos planos de lançá-lo candidato, o que foi confirmado por Picciani.

“A decisão sobre a candidatura de Pedro Paulo não é só do Eduardo Paes, mas de todo o partido. Pedro Paulo vai enfrentar e submeter o nome ao julgamento popular”, afirmou o presidente peemedebista.

A primeira queixa de Alexandra contra Pedro Paulo foi registrada em fevereiro de 2010, às vésperas da separação do casal. Ela disse ter sido agredida com socos e chutes e um laudo do Instituto Médico Legal (IML) constatou que Alexandra teve um dente quebrado. O casal havia brigado porque Alexandra descobriu uma traição de Pedro Paulo. O segundo registro aconteceu em agosto de 2010, quando a ex-mulher disse que Pedro Paulo a importunava em casa, havia chutado a porta do apartamento e ameaçado “sumir” com a filha do casal.

Quando a primeira agressão foi revelada pela revista Veja, em outubro, Alexandra inicialmente disse que havia mentido e que não tinha sido agredida. Depois, confirmou as agressões. Em entrevista ao lado da ex-mulher, em novembro, Pedro Paulo disse que era um problema de família já superado. O segundo registro policial feito por Alexandra foi noticiado pela revista Época.

‘Preparado’. “A gente não tira a gravidade nem a importância do fato, cabe a ele (Pedro Paulo) responder. As pessoas podem sair de uma situação adversa para um exemplo. O perdão é bíblico. O homem público está sempre sujeito ao julgamento popular. Pedro está plenamente preparado para governar a cidade. Com humildade aceitaremos o julgamento da população”, afirmou Picciani.

Além de Pedro Paulo, estão entre os pré-candidatos à prefeitura da capital o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL), o deputado federal Alessandro Molon (Rede) e o senador Marcelo Crivella (PRB). O PSD poderá disputar com o deputado Indio da Costa. O PSDB defende candidatura própria na capital e está em busca de um nome.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX