1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

PMDB marca convenção para 12 de março e adia debate sobre desembarque do governo

- Atualizado: 16 Fevereiro 2016 | 19h 50

Encontro terá como objetivo chancelar a recondução do vice-presidente Michel Temer ao comando nacional do partido

O vice-presidente da República, Michel Temer, no congresso do PMDB da Fundação Ulysses Guimarães, em Brasília

O vice-presidente da República, Michel Temer, no congresso do PMDB da Fundação Ulysses Guimarães, em Brasília

BRASÍLIA - O PMDB marcou a data para sua convenção nacional. O encontro será no dia 12 de março, em Brasília. Como o processo de impeachment perdeu força, os peemedebistas decidiram deixar para outro momento a discussão sobre um eventual desembarque do governo da presidente Dilma Rousseff.

Esse debate já vem sendo adiado desde o ano passado. Em novembro, o tema também foi retirado da pauta de um congresso da Fundação Ulysses Guimarães. O encontro serviu apenas para o partido divulgar um documento com propostas para o País, chamado de "Ponte para o futuro".

A reunião do próximo dia 12, por sua vez, terá como objetivo chancelar a recondução do vice-presidente Michel Temer ao comando nacional do partido. Com medo de perder o posto, após a ala do PMDB no Senado ameaçar lançar uma candidatura rival, Temer iniciou uma série de viagens pelo País para consolidar o seu nome na presidência da sigla. Nesta segunda, o vice esteve em Belo Horizonte e Vitória. Ele também já passou por cidades como Curitiba e Florianópolis.

O início da tramitação no Congresso do pedido de impeachment de Dilma em dezembro do ano passado dividiu o PMDB. Patrocinado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), o afastamento da petista não teve apoio de alas importantes da sigla, como a liderada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Temer, que num primeiro momento chegou a adotar uma postura de confronto em relação a Dilma, passou a usar um tom mais conciliador após ser acusado de "conspirar" pelo afastamento da presidente. Desde o início do ano, ele tem repetido que o seu único objetivo é manter a unidade do PMDB, para que o partido possa chegar ao poder, em 2018.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX