Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Piloto do Cessna 560 é sepultado em Maringá

Política

Política

avião

Piloto do Cessna 560 é sepultado em Maringá

O piloto Marcos Martins, de 42 anos, comandante do Cessna 560 XL que caiu na última quarta-feira em Santos, foi sepultado neste domingo em Maringá (PR). Martins tinha mais de 20 anos de experiência como piloto.

0

Estadão Conteúdo

17 Agosto 2014 | 13h57

Seu corpo foi transportado de São Paulo para Maringá no início da noite de sábado, por um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Ele era casado com a bioquímica Flávia Tatiana Vargas Martins e tinha dois filhos, de 7 e 2 anos, que acompanharam o enterro.

O irmão do comandante, o também piloto Márcio Martins, disse que a falha no equipamento que faz a gravação de voz na cabine do avião, o Cockptit Voice Recorder (CVR), vai dificultar as investigações sobre a queda do avião que transportava o candidato à Presidência Eduardo Campos (PSB). "É estranho (ocorrer a falha). Enquanto não tivermos acesso a esses dados, nunca saberemos o que aconteceu. Não dá para dizer nada", declarou.

Márcio Martins também tem experiência de voo neste modelo, que segundo ele, é uma aeronave moderna e apta a descer em diversos tipos de pistas. "Um dos requisitos do Eduardo Campos para voar naquela aeronave era ter um piloto experiente. O Marcos tinha mais de mil horas de voo no modelo", afirma o irmão. "O Rodrigo, sobrinho de Eduardo, me disse que todos confiavam muito nele e que tinha o avião na mão".

Marcos Martins, natural de Cruzeiro do Oeste, havia se mudado para São Paulo desde que começou a pilotar profissionalmente. Seus pais moram numa propriedade rural próxima a Maringá.

Representantes do PSB no Paraná acompanharam o enterro. Entre as coroas de flores, havia uma do Governo do Estado de Pernambuco e outra do prefeito de Recife, Geraldo Julio de Mello.

"O PSB vai acompanhar as investigações para saber o que aconteceu. Estamos num momento de luto, mas queremos ver tudo esclarecido'''', disse o deputado estadual Wilson Quinteiro (PSB). (Fábio Cavazotti, especial para o Estadão)

Mais conteúdo sobre: