1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

PGR e AGU têm 5 dias para se manifestar ao Supremo sobre nomeação de Lula

- Atualizado: 17 Março 2016 | 17h 44

Ministro do STF Teori Zavascki é relator de ações protocoladas pelos partidos PSB e PSDB que pedem a suspensão da posse de Lula para o Ministério da Casa Civil

O ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki
O ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki

Brasília - O ministro Teori Zavascki, relator no Supremo Tribunal Federal (STF) de duas ações contra a posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à Casa Civil, deu o prazo de cinco dias para que o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifestem sobre o caso.

As ações foram protocoladas nesta quinta-feira, 17, no Supremo pelo PSB e pelo PSDB. Ambas pedem que o decreto da presidente Dilma Rousseff que nomeou Lula seja anulado, ou que o ex-presidente continue sendo investigado em primeira instância, no Paraná, onde os processos são conduzidos pelo juiz Sérgio Moro.

A nomeação de Lula foi suspensa em caráter liminar pelo juiz Itagiba Catta Pretta Neto, da Justiça Federal do Distrito Federal. Ele considerou que há indícios de que o ato de Dilma tenha como objetivo de intervir no Poder Judiciário. A Advocacia-Geral da União já recorreu da decisão.

Ao assumir o Ministério da Casa Civil, o ex-presidente passa a ter foro privilegiado e o processo contra ele sai das mãos de Moro, tido como severo por prender dirigentes das maiores empreiteiras do País, e vai para o STF.

“(A nomeação) desvirtuou, de forma escancarada, o próprio instituto da prerrogativa de foro, que tem como fundamento constitucional a proteção ao cargo, e não ao seu titular”, aponta o PSB. Para o PSDB, a nomeação de Lula trará efeitos negativos para a economia brasileira.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX