PF prende 15 no Pará acusados de desviar recursos do Pronaf

Entre os investigados pela PF estão presidentes de sindicatos rurais e cooperativas

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 15h13

A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira, 15, no Pará, quatro supostos integrantes de uma quadrilha que desviava recursos do Programa Nacional de Incentivo à Agricultura Familiar (Pronaf), do governo federal. Na operação, intitulada Lavrador, a PF vai cumprir 11 mandados de prisão e 14 de busca e apreensão nas cidades de Altamira, Brasil Novo, Medicilândia e Uruará. Segundo a PF, o bando efetuava a liberação dos recursos do Pronaf por meio de documentos de trabalhadores, usados como laranjas. Estima-se que mais de R$ 1 milhão tenha sido desviado do programa. Entre os investigados, está o gerente do Banco do Brasil, em Medicilândia, e presidentes de sindicatos de trabalhadores rurais e de cooperativas. A fraude passou a ser investigada após denúncias feitas à PF e ao Ministério Público Federal. Cerca de 50 policiais federais participam da operação.

Mais conteúdo sobre:
Operação PF Pronaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.