1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Pesquisa mostra melhora da avaliação pessoal de Dilma entre eleitores

- Atualizado: 24 Fevereiro 2016 | 11h 02

Porcentagem dos que aprovam o desempenho pessoal da presidente subiu de 15,9% para 21,8% segundo levantamento CNT/MDA; pesquisa mostra ainda que caiu de 70% para 62,4% a avaliação negativa do governo

A presidente Dilma Rousseff
A presidente Dilma Rousseff

Brasília - A avaliação positiva do governo da presidente Dilma Rousseff variou de 9% em outubro de 2015 para 11,4% em fevereiro deste ano, de acordo com pesquisa CNT/MDA, divulgada nesta quarta-feira, 24, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT). O levantamento mostra ainda que caiu de 70% para 62,4% a avaliação negativa do governo Dilma. 

No quesito desempenho pessoal da presidente subiu de 15,9% para 21,8% a aprovação. Já a taxa de desaprovação do desempenho pessoal de Dilma caiu de 80,7% para 73,9%, no mesmo período avaliado.  

Corrupção. A pesquisa mostrou ainda que 88,6% dos entrevistados têm acompanhado ou ouvido falar das investigações no âmbito da Operação Lava Jato. O porcentual dos que consideram que Dilma é culpada pela corrupção investigada na Petrobrás variou de 69,2% para 67,8%. Já a parcela dos que consideraram que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é culpado pela corrupção variou de 68,4% para 70,3%. 

A pesquisa de fevereiro também avaliou a parcela dos que acreditam que o ex-presidente poderá ser investigado. Para 75,7%, Lula será investigado na Lava Jato; já 18,7% acham que o ex-presidente não será investigado e 5,6% não sabe ou não respondeu.  

Foram ouvidas 2.002 pessoas, em 136 municípios de 25 Unidades da Federação, das cinco regiões. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX