Pesquisa embala giro de Lula no Nordeste

Em viagem ao Ceará e à Bahia, presidente comemora CNT/Sensus, dá estocada em FHC e agradece à população por não reeleger o tucano Tasso

Carmen Pompeu / CAUCAIA e Eliana Lima / SALVADOR, Especiais para o Estado

29 Dezembro 2010 | 22h06

No dia em que uma pesquisa apontou novo recorde de popularidade, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um roteiro de despedida pelo Nordeste – a região que sempre lhe deu os maiores índices de aprovação. Aproveitou para tripudiar dos adversários e até revelou planos de cair na folia no carnaval baiano.

 

De acordo com sondagem do Instituto Sensus para a Confederação Nacional dos Transportes (CNT), Lula chega ao final do governo com 87% de aprovação a seu desempenho pessoal. O governo como um todo é considerado ótimo ou bom por 83%.

 

Em Caucaia, na região metropolitana de Fortaleza, ele declarou que, com essa taxa de aprovação, "só um doido" pensaria em se candidatar novamente a presidente. "Essa performance Deus não dá de presente duas vezes para uma pessoa, não."

 

Lula afirmou que pretende continuar atuando na política sem ser candidato. "Eu agora tenho que trabalhar para a Dilma ter a mesma sorte que eu tive, de ter a mesma relação com o povo. Ela é uma mulher guerreira."

 

Reafirmou a decisão de querer descansar e passar para frente aquilo que aprendeu. "Tem muitas coisas boas que aconteceram que eu quero socializar com a África e a América Latina. E eu quero viajar muito pelo Brasil."

 

Lula previu um cenário positivo para a presidente eleita, Dilma Rousseff. "A Dilminha vai pegar esse país a 120 por hora. Ela parece que gosta de corrida. Vai apertar um pouquinho o acelerador e vamos correr mais rápido, gerar mais emprego, renda."

 

Referindo-se ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que recentemente criticou Dilma, alfinetou: "Quero ensinar como um ex-presidente tem de se comportar. Vou dar mais essa lição aos palpiteiros, que, quando foram governo, não fizeram e depois acham que sabem muito."

 

No seu discurso, Lula afirmou que o Nordeste elegeu "a melhor safra de governadores" da região. "Todos jovens, muito inteligentes, muito preparados. O Nordeste nunca mais voltará a ter a sua imagem apenas mostrada pela miséria, pela desnutrição, pelo analfabetismo."

 

Referiu-se, na fala, a seu anfitrião no Ceará, o governador reeleito Cid Gomes (PSB). "Agradeço, de coração, a reeleição do Cid, a eleição da Dilma e a eleição dos senadores que vocês elegeram, me fazendo um favor tremendo", disse, fazendo referência indireta à derrota do tucano Tasso Jereissati.

 

Depois do Ceará, Lula viajou para Salvador, onde se encontrou com o governador Jaques Wagner. Ele disse que escolheu a Bahia para participar da entrega de 680 unidades do Programa Minha Casa Minha Vida, porque "os meios de comunicação vinham dizendo que o governo não conseguiria cumprir a meta".

 

Durante o evento, Lula participou de uma videoconferência com outras três cidades – Manaus (AM), Canoas (RS) e Campinas (SP), na quais também foram realizadas entregas de unidade do programa habitacional.

 

"Ninguém imaginou que seríamos capazes de fazer o que fizemos. Aqueles que escreveram deveriam pedir desculpas e reescrever que nós fomos capazes", provocou.

 

O presidente avisou a Wagner que retornará à Bahia no carnaval, para brincar na folia ao menos uma noite. "O Lulinha vai arrasar no carnaval. Vou ser o Lulinha 2011."

 

Ele se despediu de Salvador embalado pelos sons carnavalescos do afoxé Filhos de Gandhy, da guitarra de Armandinho, e do bloco afro Ilê Aiyê.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.