Pergunta sobre Renan derruba bom humor de Lula

Presidente não comenta denúncias de corrupção contra presidente do Senado

Agencia Estado

21 Junho 2007 | 12h55

Durante a recepção ao presidente da República Dominicana, Leonel Fernandes Reyna, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva tentou aproveitar a presença dos jornalistas para falar sobre a final da Copa Libertadores nesta quarta-feira, 20, entre Grêmio e Boca Júnior, da Argentina. O bom humor de Lula acabou, no entanto, quando os repórteres o questionaram a respeito da situação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Lula não comentou as denúncias de corrupção contra Renan, seu aliado, e fechou o rosto quando indagado, virando para frente e encerrando o tom bem humorado e as brincadeiras futebolísticas com os jornalistas. A reunião Conselho de Ética do Senado, para a votação do processo contra o presidente da Casa está marcada para esta quarta-feira, às 17 horas. O senador Renato Casagrande (PSB-ES) pediu o adiamento da sessão, incialmente prevista para às 13h30, por causa da falta de quorum. Além dele estavam presentes o senador Augusto Botelho (PR-RR), o relator, Wellington Salgado (PMDB-MG) e o presidente do Conselho, Sibá Machado (PT-AC), que acatou a decisão e disse que às 17 horas vai abrir a reunião para dar segmento à votação do processo contra Renan com qualquer quórum. Salgado foi escolhido para ser o novo relator do caso nesta manhã. Ele substitui o senador Epitácio Cafeteira, que se fastou por motivos de saúde. Apesar de ser esolhido,seu nome sofre resistências dentro do Conselho de Ética por fazer parte da "tropa de choque" de Renan. O senador é suplente e não foi eleito pelo voto. Perícia Os resultados da perícia elaborada pelo Instituto Nacional de Criminalística (INC), da Polícia Federal (PF), constatatou que as informações contidas nas GTAs "não foram suficientes para se concluir, de forma irrefutável, que eram referentes às notas fiscais". Ressaltam ainda os peritos que "várias informações preenchidas nas guias são divergentes daquelas presentes nas notas fiscais" cujas cópias foram encaminhadas pelo senador com o objetivo de comprovar a posse de recursos próprios para pagar pensão da filha. Cópias dos documentos foram apresentados pelo senador para comprovar que possui recursos próprios para pagar pensão a uma filha e que essas despesas não foram pagas pelo lobista da empreiteira Mendes Júnior Cláudio Gontijo. Segundo Renan, os documentos comprovam que não há duplicidade de recibos de venda de gado de sua fazenda em Alagoas. O Jornal Nacional, da TV Globo, havia acusado o senador de fraudar notas fiscais, recibos, guias de depósitos, cheques e GTAs relacionados às suas atividades agropecuárias. A Polícia Federal entregará o laudo sobre a autenticidade dos documentos nesta terça ao Conselho de Ética.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.