1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Pedro Paulo e filho de Cabral deixam cargos no Rio para apoiar Picciani na Câmara

- Atualizado: 15 Fevereiro 2016 | 16h 32

Picciani disputa a liderança da bancada do partido na Casa com o deputado Hugo Motta (PB), apoiado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha

O secretário de Coordenação do Governo da prefeitura do Rio de Janeiro, Pedro Paulo Carvalho
O secretário de Coordenação do Governo da prefeitura do Rio de Janeiro, Pedro Paulo Carvalho

Rio - O PMDB-RJ repetiu a estratégia adotada em dezembro passado e mandou de volta a Brasília os deputados federais Pedro Paulo e Marco Antônio Cabral, para que votem na reeleição de Leonardo Picciani (RJ) para a liderança da bancada na Câmara.

Picciani disputa com o deputado Hugo Motta (PB), apoiado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Para permitir a operação de reforço aos votos em Picciani na eleição de quarta-feira, 17, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB)  exonerou Marco Antônio Cabral do cargo de secretário estadual de Esportes e o prefeito Eduardo Paes (PMDB) liberou Pedro Paulo a deixar temporar

O filho do ex-governador Sérgio Cabral, Marco Antonio Cabral (PMDB-RJ)
O filho do ex-governador Sérgio Cabral, Marco Antonio Cabral (PMDB-RJ)
iamente a secretaria de Coordenação de Governo da capital. 

No sábado, 13, Picciani, que tem apoio do governo, esteve com a presidente Dilma Rousseff no Rio, durante mutirão de prevenção ao mosquito Aedes aegypt, em uma favela da zona oeste do Rio. A presidente foi à comunidade acompanhada também de Pezão e Paes, Até sexta-feira, 19, Pedro Paulo e Cabral deverão estar de volta às secretarias. Em dezembro, eles também reassumiram os mandatos de deputados por alguns dias, para viabilizar a recondução de Leonardo Picciani à liderança, depois de o parlamentar ter sido destituído e substituído por Leonardo Quintão (MG). Picciani ficou uma semana fora da liderança. 

Na atual disputa, Quintão chegou a cogitar uma candidatura contra Picciani, mas se aliou ao parlamentar carioca em oposição a Hugo Motta. Marco Antônio Cabral é filho do ex-governador Sérgio Cabral, foi eleito pela primeira vez para a Câmara em 2014, mas em janeiro de 2015 assumiu o cargo de secretário de Esportes. Pedro Paulo está no segundo mandato de deputado federal e é pré-candidato à prefeitura do Rio, com apoio do prefeito Eduardo Paes. No início deste mês, a Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu autorização ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar Pedro Paulo por lesão corporal à ex-mulher, Alexandra Marcondes, em 2010, quando o casal estava em processo de separação. 

Em fevereiro de 2010, Alexandra registrou queixa contra Pedro Paulo e disse ter sido atacada com socos e pontapés, durante uma briga do casal, depois de ela ter descoberto que tinha sido traída. Em agosto, depois da separação, Alexandra voltou à delegacia para denunciar que Pedro Paulo tinha ameaçado "sumir" com  a filha de casal. O primeiro registro de agressão foi feito por Alexandra em dezembro de 2008, em São Paulo. 

Segundo reportagem da revista "Veja", a defesa de Pedro Paulo apresentou ao Ministério Público uma nova versão para o caso e disse que o deputado tinha reagido à agressão de Alexandra, o que teria sido confirmado pela ex-mulher. Ao Ministério Público, Alexandra falou em "agressões recíprocas", segundo a revista. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, classificou a versão como um "giro radical" que precisa ser "bem esclarecido". O pedido de abertura de investigação será decidido pelo ministro do STF Luiz Fux.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX