Carmem Pompeu/Divulgação
Carmem Pompeu/Divulgação

Paulo Hartung fala em restaurar equilíbrio do Espírito Santo

'O Estado dos dias atuais apresenta um cenário desafiador para o seu povo', afirmou

José Maria Tomazela e Mary Martins, O Estado de S. Paulo

01 Janeiro 2015 | 18h03

Atualizado às 19h.

VITÓRIA - O novo governador do Espírito Santo, Paulo Hartung (PMDB) assumiu o cargo às 15h30 desta quinta-feira, 1º, prometendo restaurar o equilíbrio financeiro e social para que o Estado volte a crescer. "Nos últimos quatro anos, o Estado perdeu o equilíbrio. O Estado dos dias atuais apresenta um cenário desafiador para o seu povo", afirmou, num discurso de cerca de 20 minutos, entendido como uma crítica ao seu antecessor, Renato Casagrande (PSB). Hartung falou após ter sido empossado como governador em solenidade na Assembleia Legislativa.

"É uma honra ser reconduzido pela terceira vez ao Palácio. Assumo este mandato com uma fé inabalável na democracia e na política de qualidade", afirmou. Em seguida, fez um apelo ao diálogo, que considera a base da política. "Não acredito em liderança que não seja por esse intermédio. Sou filho da batalha pela volta das liberdades democráticas", disse, referindo-se ao seu passado de líder da União Nacional de Estudantes (UNE).

Hartung falou ainda das expectativas para o novo governo e pediu ajuda de Deus para colocar o Estado no rumo da prosperidade. "Estou feliz, emocionado e com uma energia danada para sacudir o Espírito Santo e fazer com que o Estado cresça." Tomou posse com Hartung o vice-governador, Cesar Colnago (PSDB). Em seguida, o governador, seu vice e convidados seguiram para o Palácio Anchieta, sede do governo, para a transmissão do cargo.

Paulo Hartung assume no lugar de Renato Casagrande (PSB), que já foi seu aliado político no passado, e entra para a história porque pela primeira vez desde a instauração da República, em 1889, um governador vai assumir o Espírito Santo pela terceira vez.

A quantidade de pastas neste governo não será alterada. Atualmente existem 26 secretarias estaduais, incluindo Defensoria Pública, Casa Militar e Casa Civil, além das pastas populares como Saúde, Obras, Fazenda, Educação e outras. O governador manteve parte do secretariado do seu antecessor. Na pasta da Segurança, fica o secretário André Garcia. Foram mantidos também o secretário de Justiça, Eugênio Ricas e o presidente do Banestes Guilherme Dias.

Segurança, Educação e Saúde. Hartung anunciou um pacto contra crimes, onde pretende unir prefeituras, Ministério Público, Defensoria Pública e Justiça para reduzir a violência como assassinatos e assaltos. "Vamos fazer de forma articulada e coordenada o que chamamos de ocupação social, onde o governo estará presente nas regiões com o maior índice de criminalidade", ressaltou o governador.

Além da segurança, outro desafio para o chefe do Executivo Estadual está na educação, mas Hartung pretende implantar o Projeto Escola Viva, que aumenta a oferta de cultura e lazer em escolas que irão funcionar em tempo integral com novas unidades construídas ainda este ano. Por fim, na área da saúde, o chefe do executivo quer melhorar  a gestão e construir mais unidades hospitalares.

"Vamos pensar em um hospital em parceria público-privado e temos que ter estrutura de controle nesta área. Já no que se refere à educação, até o final do ano devemos ter três unidades funcionando como escola viva, que irão atrair os adolescentes não deixando que eles sejam presas fáceis para o tráfico e as drogas".

Mais conteúdo sobre:
Posse 2015 Espírito Santo Paulo Hartung

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.