1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Parte da mudança do petista foi para o sítio

- Atualizado: 13 Fevereiro 2016 | 18h 02

Documento mostra que transportadora recebeu cerca de R$ 6 mil para levar carga de Brasília para o interior paulista

Caminhão faz a mudança de Lula em 2011

Caminhão faz a mudança de Lula em 2011

BRASÍLIA - Documento produzido pelo Palácio do Planalto que detalha despesas do governo confirma que que parte da mudança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva quando deixou o governo foi encaminhada para Atibaia (SP). Na ordem de pagamento consta a inscrição transporte Brasília-Atibaia-SP". A empresa Mudanças 5 Estrelas recebeu R$ 6.532,05 para levar a carga de Brasília ao interior de São Paulo. Em janeiro de 2011, época da mudança, o Estado revelou que o destino final foi um sítio na cidade do interior paulista. Lula nega ser o dono da propriedade que diz frequentar em dias de descanso. 

A revista Veja publicou detalhes sobre o que foi enviado a Atibaia. Uma nota fiscal da empresa 5 Estrelas registra que o local de entrega é um "sítio". O documento afirma que foram levados para a propriedade mais de 200 caixas com pertences da família Lula, sendo 37 delas somente de bebidas. Ao Estado, um funcionário da empresa Granero, transportadora que também fez a mudança de Lula, disse ter ouvido que foram para a propriedade, além de bebidas, presentes que Lula recebeu quando era presidente e obras de arte. 

O sítio, que esta em nome dos empresários Fernando Bittar e Jonas Suassuna, sócios de Fábio Luís, filho mais velho do ex-presidente Lula, entrou na mira da Operação Lava Jato e do Ministério Público de São Paulo por ter recebido benfeitorias de construtoras investigadas no esquema de corrupção da Petrobrás. A OAS, por exemplo, comprou a cozinha e armários por R$ 180 mil, valor pago em espécie, conforme relato de funcionários da empresa Kitchens ao Ministério Público de São Paulo. Os investigadores querem saber se a reforma tem relação com contratos obtidos pelas empreiteiras no governo Lula. Entre 2012 e janeiro deste ano, o petista esteve 111 vezes no local, conforme revelou a revista Época

O Ministério Público já requisitou documentos a empresas que fizeram o transporte da mudança de Lula em 2011, após ele encerrar o segundo mandato. Os documentos do governo também mostram que pertences de Lula foram enviados, ainda, a São Bernardo, onde mora o ex-presidente, ao custo de R$ 7.078,40. 

A Veja informa que a entrega no sítio ocorreu em 8 de janeiro de 2011, apenas dois meses após a compra propriedade por Bittar e Suassuna. A publicação apresenta cópia de uma nota fiscal da transportadora 5 Estrelas, uma das responsáveis pela mudança do ex-presidente, que deixou Brasília no dia 1 de janeiro de 2011.

Vistoria. Em outro texto publicado em seu site, Veja informou que uma testemunha que prestou depoimento ao Ministério Público de São Paulo contou que dona Marisa Letícia, mulher do ex-presidente Lula, inspecionou as obras do sítio de Atibaia. Conforme a revista, o ingresso da OAS na empreitada foi relatado à ex-primeira-dama pelo arquiteto Igenes Irigaray, supervisor dos trabalhos: "A mulher de Lula, dona Marisa Letícia, visitou o sítio e soube dessa informação (mudança de empresa) por intermédio de Igenes". Marisa também vistoriou as obras de um tríplex no Guarujá que é alvo de outra investigação do MP. A OAS é responsável pelo condomínio Solaris e também pela reforma do tríplex que estava reservado para a família Lula. 

Procurada pelo Estado, a assessoria do ex-presidente Lula disse que não iria comentar o assunto. Lula tem afirmado em notas públicas que não é dono do sítio nem do tríplex no Guarujá. Na próxima quarta-feira, ele e dona Marisa irão prestar depoimento sobre o apartamento ao MP-SP. 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX