Para Suplicy, Conselho deve manter investigação sobre Renan

Senador petista acha precipitado arquivar representação por quebra de decoro

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 15h13

O senador Eduardo Suplicy (PT) se reuniu com o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, senador Sibá Machado (PT), para alertar Sibá de que seria "precipitado" encerrar nesta sexta-feira as investigações sobre o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB). Reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, mostrou na quinta-feira que Renan teria apresentado ao Conselho notas fiscais frias para justificar a declaração de que possui recursos próprios para pagar pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem ele tem uma filha. No Conselho de Ética, está programada para esta sessão a votação do parecer apresentado pelo senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA), relator do caso, que propôs o arquivamento das denúncias contra Renan. Suplicy disse que, depois da divulgação da reportagem, conversou com Renan e lhe sugeriu que, espontaneamente, compareça à reunião do Conselho e apresente explicações. A representação contra Renan foi aberta a pedido do PSOL. Renan se reuniu nesta manhã com aliados para estudar estratégia de defesa no Conselho. Os senadores Demóstenes Torres (DEM-GO) e Jefferson Peres (PDT-AM) receberam e rejeitaram convite para ir ao encontro do presidente do Senado. O senador Renato Casagrande (PSB-ES) admitiu que a votação do relatório pode ser adiada. O relator Epitácio Cafeteira foi ao gabinete de Renan, mas ninguém quis comentar o fato de o relator do Conselho de Ética ter se reunido previamente com Renan antes da reunião do colegiado. A líder do PT, Ideli Salvatti se recusou a dar entrevista ao chegar ao gabinete de Renan e um tumulto generalizado se formou quando Cafeteira deixou o gabinete do presidente do Senado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.