Mateus Pereira/GovBA/Divulgação
Mateus Pereira/GovBA/Divulgação

Para Rui Costa, revisão do pacto federativo é urgente e Brasília se agiganta a cada dia

Petista tomou posse como governador da Bahia em cerimônia na Assembleia Legislativa

Tiago Décimo, O Estado de S. Paulo

01 Janeiro 2015 | 12h54

SALVADOR - Ao falar da Saúde durante sua cerimônia de posse, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), mirou a escassez de recursos e sugeriu a "criação urgente" de "novas fontes de recursos para financiar a saúde pública", sem mencionar, porém, o retorno da CPMF. "Não defendo um imposto em particular, o que defendo é que haja mais recursos para a Saúde, porque a composição demográfica do País mudou muito nos últimos anos, aumentou muito a população idosa, proporcionalmente, e os gastos com a Saúde aumentaram de forma exponencial", argumentou o governador, após a cerimônia. "Serei linha de frente entre os governadores que vão lutar por esses aumentos. E não é uma questão partidária, é uma questão de gestão pública. Já conversei sobre isso com o governador (Geraldo) Alckmin, de São Paulo, que é da oposição."

No plano federal, Costa também prometeu lutar por mudanças nos repasses de verbas para os Estados e por desburocratização na realização de obras. "É urgente a revisão do pacto federativo, não é aceitável o nível de concentração de recursos no plano federal", disse. "Brasília se agiganta a cada dia e a burocracia custa caro e atrasa os investimentos no País. São necessários no mínimo dois anos entre a autorização da presidente ou dos ministros e o início físico de cada obra nos Estados - e a Bahia não pode esperar tanto."

Após o evento na Assembleia Legislativa, Costa foi a uma estrutura montada na frente do prédio da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia, onde foi recebido com a trilha sonora do "Tema da Vitória". Ali, recebeu simbolicamente o cargo, por parte de Wagner, e empossou os 24 secretários de seu governo. Em seguida, governador e ex-governador embarcam para Brasília, onde participam da posse da presidente Dilma Rousseff. Wagner também assume, na tarde de hoje, o comando do ministério da Defesa. 

Mais conteúdo sobre:
Posse 2015 Rui Costa Bahia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.