Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

Para Marina Silva, corrupção não é problema 'exclusivo' de Dilma, Lula ou FHC

Para ex-ministra, a corrupção 'é problema nosso e, na nossa insustentabilidade política, achamos que é problema de alguém. Enquanto for assim, não vamos ajudar a resolver o problema'

Ana Fernandes, O Estado de S. Paulo

21 Outubro 2015 | 21h11

São Paulo - A ex-candidata presidencial Marina Silva,da Rede Sustentabilidade, voltou a dizer que a corrupção não é problema exclusivo de Dilma Rousseff nem dos presidentes que a antecederam. Em palestra em São Paulo nesta quarta-feira, 21, Marina disse que o País vive uma "insustentabilidade política" e que os cidadãos precisam sair da postura passiva.

"A corrupção não é um problema da Dilma, do Lula, do Fernando Henrique, do Collor, de D. Pedro I nem de D. Pedro II. Enquanto for problema deles a coisa vai continuar feia", disse. "A corrupção é problema nosso e, na nossa insustentabilidade política, achamos que é problema de alguém. Enquanto for assim, não vamos ajudar a resolver o problema", completou.

Marina reiterou que todo apoio deve ser dado às investigações da Lava Jato, mas que é importante uma mudança de postura na democracia brasileira. Ela ponderou que os brasileiros elegem representantes para assumirem um papel de pai e mãe que entregam demandas. E destacou que há figuras na política que gostam de ser colocadas como "grandes mães", em referência indireta à presidente Dilma Rousseff - que foi chamada de "mãe do PAC" pelo ex-presidente Lula.

"Temos a ilusão de eleger alguém para fazer as coisas para nós. Projetamos todas as nossas demandas em uma atitude altamente compensatória", afirmou Marina. "Os eleitos não deveriam ser eleitos para substituir as pessoas, mas para representá-las."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.