Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Para líder do governo, ambiente de votações no Senado lembra 'Alemanha nazista'

Delcídio Amaral (PT) se refere às propostas votadas 'sob pressão' no Congresso e faz alusão a Hitler ao dizer que, quem diverge, é constrangido

Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

10 Julho 2015 | 13h07

Brasília - O líder do governo no Senado, Delcídio Amaral (PT-MS), afirmou que o ambiente de votações na Casa - após sucessivas derrotas do governo Dilma Rousseff em votações de grande impacto para as contas públicas - lembra a "Alemanha nazista".

Delcídio já havia feito um desabafo em plenário na quarta-feira (8), logo após o governo perder na votação da Medida Provisória que indexa a política de salário mínimo à Previdência Social. O líder governista comparou as votações do Senado nas últimas semanas feitas sob pressão a um "corredor polonês" e alertou os colegas para as decisões "altamente temerárias" que estão sendo tomadas.

Agora o petista foi além: "É um corredor polonês e digo ainda mais. O ambiente aqui no Senado me lembra a Alemanha nazista de 1933, quando Hitler botava os 'bate-paus' para constranger todo mundo. Os caras que divergiam dele, tinha que constranger. É o que estava acontecendo aqui. Isso aqui virou um mercado persa. Isso é uma vergonha".

Delcídio disse que o embate político está num limite tal que, se as partes não chegarem a um entendimento, a postura vai prejudicar o Brasil. "Nós não podemos, em função de embates políticos, colocar as disputas na frente daquilo que é importante para o País", avaliou.

O líder do governo afirmou que há um "jogo muito forte para a torcida" tanto da base quanto da oposição. "Faça o que eu digo, não faça o que eu faço", afirmou. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.