1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Para Eduardo Campos, aumento do Bolsa Família corrige inflação

Francisco Carlos de Assis - Agência Estado

01 Maio 2014 | 14h 25

Pré-candidato do PSB à presidência da República lamentou o fato de a presidente ter usado o horário nobre da televisão para tratar de questões que não foram resolvidas ao longo do governo

O pré-candidato do PSB à presidência da República, Eduardo Campos, disse nesta quinta-feira que o aumento do Bolsa Família de 10% anunciado nessa quarta-feira pela presidente Dilma Rousseff, foi uma forma de "reparar os efeitos sobre a renda do trabalhador de uma inflação que a presidente deixou chegar por meio dos alimentos".

Campos chegou ao evento em comemoração ao Dia do Trabalho organizado pela Força Sindical em São Paulo com duas horas de atraso. Ele nem participou do ato político no qual discursou seu oponente tucano Aécio Neves. Em breve e tumultuada conversa com os jornalistas, o pré-candidato do PSB afirmou que o Brasil só vai voltar a crescer com um novo ciclo de aumento da renda, estabilidade e mudanças políticas.

"O Brasil entrou no caminho errado e para voltar vai precisar do ânimo e da mobilização do trabalhador", disse Campos. Ele afirmou lamentar o fato de a presidente ter usado o horário nobre da televisão na noite de quarta-feira para tratar de questões que não foram resolvidas ao longo do governo.

Campos comentou ainda a afirmação de Dilma de que quer dialogar com os trabalhadores. "O movimento sindical vive reclamando do baixo diálogo com o governo. O Brasil precisa de diálogo com empresários, trabalhadores e estudantes para voltar a crescer" afirmou.