HÉLVIO ROMERO | ESTADÃO CONTEÚDO
HÉLVIO ROMERO | ESTADÃO CONTEÚDO

Para Abilio Diniz, questões da Justiça não podem parar País

Durante evento da premiação Líderes do Brasil, promovido pelo Grupo Lide, empresário afirma que há questões que devem ser “encaminhadas e julgadas pela Justiça”

FRANCISCO CARLOS DE ASSIS, ALVARO CAMPOS e DAYANNE SOUSA, Impresso

13 Dezembro 2016 | 00h40

O empresário Abilio Diniz, ex-dono do Grupo Pão de Açúcar, e hoje acionista do Carrefour, defendeu que o setor privado deve apoiar as reformas promovidas pelo governo Michel Temer e afirmou que questões que hoje tramitam na Justiça “não podem paralisar o Brasil”. Durante evento da premiação Líderes do Brasil, promovido pelo Grupo Lide na noite de ontem, em São Paulo, Diniz afirmou que há questões que devem ser “encaminhadas e julgadas pela Justiça”.

Diniz discursou para uma plateia que contava com Temer e ministros. O empresário afirmou que o governo trouxe a “esperança” de volta, mas acrescentou que a “confiança está abalada”.

Sem fazer menção direta ao vazamento da delação premiada de ex-diretores da Odebrecht, Diniz afirmou que Temer “deve ser avaliado lá na frente pelo que fez como presidente”.

“Eu penso que o senhor é um homem tranquilo e corajoso”, disse Diniz. “Vá a luta!”. O empresário afirmou que lideranças empresariais devem “apoiar o que está sendo feito”.

“Não vamos resolver nossos problemas se não resolvermos questões de base que estão começando a ser encaminhadas”, afirmou Diniz, citando o limite aos gastos públicos e a reforma da Previdência. “Isso precisa ser feito. Não podemos interromper essa fase”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.