1. Usuário
Assine o Estadão
assine

País continuará com recordes de produção, diz ministro

NIVALDO SOUZA - Agência Estado

17 Março 2014 | 14h 21

Brasília, 17 - O novo ministro da Agricultura, Neri Geller, disse nesta segunda-feira, 17, ao tomar posse, que o Brasil continuará batendo recordes de produção agrícola. "Vamos superar a produção esse ano se comparado ao ano passado. Ela só não será maior em função de alguns problemas climáticos que enfrentamos, principalmente na Região Sul do País", afirmou ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

O empenho do novo ministro para que o setor produtivo possa continuar avançando com o plantio foi cobrado da presidente Dilma Rousseff. "O crescimento da produção vai aumentar com certeza, até porque o mundo espera isso do País", disse Geller. A estratégia apresentada pelo ministro será a de incentivar a ampliação da área plantada em novas regiões para compensar problemas enfrentados em territórios tradicionais de produção de grãos. Segundo ele, o governo vai estimular a agregação de valor, especialmente onde os problemas logísticos são mais graves, "como em algumas regiões de Mato Grosso e o sul do Pará", disse.

Geller também sinalizou que uma das prioridades será conversar com os produtores de laranja. "A citricultura vai ter uma atenção especial em função da crise que passou no ano passado. Tem alguns pontos que vamos sentar com o setor e discutir", indicou.

PMDB.

O novo ministro da Agricultura é uma escolha da presidente Dilma. O PMDB tentava emplacar um nome da ala mineira do partido, mas não conseguiu. Neri é novo na legenda e diz que será "útil ao governo federal". "Tenho uma ligação muito forte com o Congresso Nacional. Minha indicação foi feita pelo ministro Antônio Andrade (PMDB-MG) e foi liderada pelo senador Blairo Maggi (PR-MT), com o apoio de praticamente todo o setor. E a presidente me nomeou pelo apoio do setor e nosso trabalho", disse. "Com o Congresso, nós vamos manter, inclusive o meu PMDB, uma proximidade muito forte", afirmou.