Padilha: CDES ajudou diálogo entre Poderes e sociedade

Para ministro, órgão possibilitou a criação e aprovação de projetos importantes para o País

Eduardo Rodrigues, da Agência Estado,

02 Dezembro 2010 | 11h29

BRASÍLIA - O ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais (SRI) da Presidência da República, Alexandre Padilha, afirmou nesta quinta-feira, 2, na abertura da 36ª Reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), que o grupo foi fundamental para a construção de um diálogo que possibilitou a criação e aprovação de projetos importantes para o País nos últimos oito anos.

"Ao longo desses oito anos, construímos uma relação harmônica e superamos aqueles temores que existiam na criação do conselho, de que estaríamos criando um poder paralelo", afirmou Padilha, ressaltando que o grupo serviu como instrumento para o diálogo entre Congresso Nacional, Poder Executivo e sociedade civil. O CDES, criado com o objetivo de ser um órgão consultivo da Presidência, compõe-se atualmente de 90 conselheiros e 17 ministros. É formado por empresários, sindicalistas, intelectuais e líderes de movimentos sociais.

O ministro citou a recente aprovação pelos parlamentares da Medida Provisória que favorece produtos nacionais em compras governamentais, que era uma das prioridades da agenda construída juntamente com o conselho. Padilha também lembrou a aprovação da criação do cadastro positivo e das discussões sobre o novo marco regulatório do pré-sal, que também passaram pelo CDES.

"O grupo construiu uma agenda para o desenvolvimento do País", concluiu Padilha. O ministro disse, ainda, que o governador eleito do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, planeja criar um conselho semelhante na capital do País.

Mais conteúdo sobre:
diálogo CDES Poderes sociedade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.