Orçamento terá reserva maior para mínimo, diz Paulinho

O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), o Paulinho da Força, afirmou hoje que o representante do governo na Comissão Mista do Orçamento (CMO), deputado Gilmar Machado (PT-MG), comprometeu-se em fazer uma reserva maior de recursos para elevar o salário mínimo e os benefícios previdenciários de quem ganha mais que o salário mínimo.

EDNA SIMÃO, Agência Estado

21 Dezembro 2010 | 18h43

Segundo Paulinho, Machado deve reservar R$ 6,6 bilhões, sendo R$ 1 bilhão para o Bolsa Família. O valor seria suficiente para elevar o mínimo para R$ 560 no próximo ano e reajustar as aposentadorias dos que ganham acima do mínimo em 7,5%. O relatório final do Orçamento prevê um salário mínimo de R$ 540. Machado afirmou, no entanto, que haverá uma reserva, mas o dinheiro não será carimbado.

Com essa sinalização de Machado, Paulinho afirmou que o PDT não deve atrapalhar a votação do relatório do orçamento na CMO. Porém, no próximo ano vai continuar insistindo em um aumento do mínimo para R$ 580 e um reajuste de 10% para os aposentados. Segundo o presidente da Força Sindical, é preciso reservar o máximo de recursos no Orçamento para minimizar os confrontos no próximo ano. Machado trabalha para que o relatório seja aprovado hoje na comissão para que amanhã seja votado no Plenário pelos parlamentares da Casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.