1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Oposição recorre ao STF para instalar CPI exclusiva da Petrobrás

Ampliado às 13h40 - Mariângela Gallucci

08 Abril 2014 | 12h 25

Parlamentares protocolam mandado de segurança para evitar que outros assuntos sejam incluídos em investigação

Brasília - Um grupo de parlamentares de oposição protocolou nesta terça-feira, 8, pedido de mandado de segurança no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar garantir a instalação de uma CPI com foco nas denúncias sobre a Petrobrás. De acordo com os congressistas, a ação, na qual há um pedido de liminar, tem o objetivo de assegurar o direito da minoria de investigar as suspeitas de irregularidades na estatal.

"Esse ato é, sobretudo, em defesa do Parlamento e suas prerrogativas", afirmou o senador e pré-candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves (MG). "Todos os requisitos (para instalação da CPI) foram cumpridos: número de assinaturas e fato determinado", disse. "Se prevalecer a posição do presidente Renan (Calheiros) estaremos abdicando para sempre do direito das minorias de investigar qualquer denúncia grave em relação a atos do governo", acrescentou.

Na semana passada, o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), deixou a palavra final sobre a ampliação das investigações para a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Se a decisão de Renan for confirmada, a investigação também terá como foco o cartel do metrô em São Paulo e irregularidades no Porto de Suape, em Pernambuco, denúncias que atingem adversários da presidente Dilma Rousseff na campanha ao Palácio do Planalto. A expectativa é que a CCJ se reúna ainda na tarde desta terça-feira, para discutir o assunto.