1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Oposição pede convocação de ministro da Saúde para depor na Câmara

- Atualizado: 16 Fevereiro 2016 | 13h 24

Oficialmente, requerimento pede que ministro esclareça sobre as ações de combate ao Zika, mas o aliado de Cunha, Paulinho da Força admitiu que a ideia e tentar constranger o político para que ele não tire licença e vote em Leonardo Picciani na eleição da liderança do PMDB na Câmara

Ministro da saúde se reuniu com o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg
Ministro da saúde se reuniu com o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg

Brasília - Líderes da oposição na Câmara protocolaram nesta terça-feira, 16, requerimento pedindo a convocação do ministro da Saúde, Marcelo Castro, para prestar depoimento no plenário da Casa. Segundo o presidente do Solidariedade, deputado Paulinho da Força (SP), opositores já combinaram com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se comprometeu a colocar o requerimento em votação na sessão plenária desta tarde. 

Oficialmente, o requerimento pede a convocação de Marcelo Castro para prestar esclarecimentos sobre as ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor do vírus da dengue, zika e febre chikungunya. "Pela gravidade da situação em tela, além dos muitos outros focos divulgados diariamente pela grande imprensa, julgamos de fundamental importância e urgência a convocação do ministro da Saúde, afim de prestar esclarecimentos perante o Plenário desta Casa", diz o documento.

Paulinho da Força admitiu, contudo, que a ideia é tentar constranger o ministro e, dessa forma, inibi-lo a deixar o cargo temporariamente para apoiar a recondução de Leonardo Picciani (RJ) à liderança do PMDB na Casa. Picciani é o candidato preferido do Planalto e concorre com Hugo Motta (PB), apoiado pela ala pró-impeachment. "Vamos pedir para ele explicar como, diante dessa crise toda, ele sai para vir votar na liderança do PMDB", afirmou o presidente do Solidariedade. 

Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical
Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical

Como mostrou o Estado, a provável licença de Marcelo Castro coloca em risco sua permanência no cargo. A presidente Dilma Rousseff liberou o ministro para retomar o mandato de deputado e apoiar Picciani na eleição prevista para esta quarta-feira, 17, mas deixou claro que a decisão será dele e que, por ela, "isso não ocorreria". Apesar das especulações, o ministro ainda não confirmou se pedirá exoneração temporária pra apoiar Picciani. 

A ideia do requerimento foi do líder do DEM, Pauderney Avelino (AM). Além dele e de Paulinho da Força, assinam o pedido os líderes do PSDB, Antônio Imbassahy (BA); do Solidariedade, Arthur Oliveira Maia (BA); do PPS, Rubens Bueno (PR); e da minoria, Miguel Haddad (PSDB-SP). "Já combinamos com Eduardo (Cunha) de votar o requerimento hoje", disse Paulinho da Força.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX