Novos conselheiros do CNJ são empossados por Ellen Gracie

Em discurso, ministra diz que missão maior do órgão é modernização do Judiciário

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 09h39

A presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Ellen Gracie, empossou nesta sexta-feira, 15, durante solenidade, novos conselheiros do órgão. O mandato dos conselheiros é para o período de dois anos. Composto por 15 conselheiros, contando com a presidente, o CNJ ainda está sem um de seus integrantes. A vaga destinada a um representante da Câmara dos Deputados permanece aberta, cercada de disputa política acirrada.O plenário da Câmara tem até o dia 19 de junho para definir o dono da vaga. Com a posse, os novos conselheiros são:Gelson de Azevedo, Rui Stoco, Mairan Gonçalves Maia Junior, Altino Pedrozo dos Santos, Andréa Maciel Pachá, Jorge Maurique, Antonio Umberto de Souza, José Adoni Callou de Araújo Sá, Felipe Locke Cavalcanti, Técio Lins e Silva, Paulo Lobô e Joaquim Falcão. Discurso Durante discurso, a ministra lembrou dos principais resultados conquistados, durante cerimônia de posse dos novos conselheiros no CNJ. Ellen Gracie mencionou o veto ao nepotismo no Poder Judiciário, as regras fixadas para aplicação do teto remuneratório e o estabelecimento dos critérios para composição dos órgãos especiais nos tribunais. A presidente do STF e do CNJ ressaltou, ainda, que o Conselho deve buscar sua missão maior: a modernização do Poder Judiciário como órgão de planejamento estratégico. O órgão é responsável pelo controle da "atuação administrativa e financeira do Poder Judiciário" e o "cumprimento dos deveres funcionais dos juízes, segundo Emenda Constitucional n.45. (Com STF)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.