Carmem Pompeu/Divulgação
Carmem Pompeu/Divulgação

No RS, Tarso Genro diz que deixa o governo de 'cabeça erguida'

Na entrega do cargo a Ivo Sartori (PMDB), petista faz discurso de cinco minutos e deseja sorte a sucessor

Gabriela Lara, correspondente, O Estado de S. Paulo

01 Janeiro 2015 | 17h18

Porto Alegre - Ao entregar o cargo a José Ivo Sartori (PMDB), o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT), disse nesta quinta-feira, 1º, que termina seu mandato de "cabeça erguida" e desejou sucesso a Sartori. Na cerimônia de transmissão de poder, no Palácio Piratini, o petista fez um discurso breve e protocolar, de cerca de cinco minutos.

"O senhor foi a escolha do povo gaúcho para comandar o Rio Grande do Sul nos próximos quatro anos", disse a Sartori, que venceu Tarso no segundo turno das eleições, em outubro, com 61,2% dos votos. "Quero dizer que saímos de cabeça erguida, como o senhor está entrando e certamente sairá."

Tarso não se dedicou a relembrar conquistas de seu governo, mas mencionou o trabalho de articulação que realizou junto a parlamentares e outros governadores para aprovar, no Congresso Nacional, o projeto que altera o indexador das dívidas dos Estados com a União, possibilitando a diminuição dos passivos no médio e longo prazos. Ele ofereceu ao sucessor o mesmo apoio que disse ter recebido dos antecessores em momentos importantes como o da renegociação da dívida.

O ex-governador também agradeceu aos partidos de coalizão, mesmo aos que deixaram o governo ao longo do mandato, como foi o caso do PDT e do PSB, que agora terão participação na equipe do Executivo formada por Sartori. Tarso ainda lembrou o papel importante da oposição.

Depois, desejou sucesso a Sartori na gestão que se inicia hoje. "Espero que faça um bom governo. Não é fácil, mas sei que é seu objetivo", afirmou. "Meu abraço fraterno e o desejo de um grande governo, um bom governo para o nosso Rio Grande." O rápido e discurso de Tarso não foi interrompido em nenhum momento por aplausos.

Na sequência, Sartori voltou a dizer, como já havia feito momentos antes na cerimônia de posse, que tem um compromisso com um governo simples, honesto, realista e eficiente, voltado para os que mais precisam. "Convoco gaúchos para tomar posse conosco. Sozinhos conseguiremos pouco, mas juntos conseguiremos muito", disse. Ele também disse que as medidas adotadas em todas as áreas serão implementadas com cautela.

Após os discursos, Sartori acompanhou Tarso até a porta do Palácio Piratini, onde os dois se despediram. À saída, alguns simpatizantes do petista cantaram frases como "olê, olê, olá, Tarso, Dilma", em manifestação de apoio a Tarso e à presidente da República, Dilma Rousseff.

Respondendo a uma pergunta de jornalistas sobre seu futuro, Tarso disse que "continuará trabalhando", sem entrar em detalhes. Após empossar seus secretários e finalizar a cerimônia de passagem de cargo, Sartori deve ter uma primeira reunião com sua equipe de trabalho já no Palácio do Planalto, no fim da tarde.

Mais conteúdo sobre:
posse 2015 Tarso Genro Rio Grande do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.