1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Mensalao

'Não tenho interesse nenhum', diz Barbosa sobre julgamento de infringentes

Ricardo Brito - O Estado de S. Paulo

20 Fevereiro 2014 | 16h 40

Presidente do Supremo demonstrou desinteresse sobre possibilidade de réus serem absolvidos pelo crime de formação de quadrilha

Em meio às especulações sobre sua saída do Supremo Tribunal Federal para disputar as eleições, Joaquim Barbosa afirmou nesta quinta-feira, 20, que "não tenho interesse nenhum. Der o que der, para mim (tanto faz)", quando questionado sobre a análise dos embargos infringentes de cinco condenados do mensalão, realizada nesta quinta. A Corte julga nesta tarde os recursos do ex-ministro José Dirceu,  ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, ex-presidente da sigla, José Genoino, e os ex-dirigentes do Banco Rural, Kátia Rabelo e José Roberto Salgado referentes ao crime de formação de quadrilha.

A postura do presidente do STF, diferente da que ele vinha adotando ao longo do processo, ocorre após uma matéria publicada no sábado pela revista Veja afirmar que o ministro estaria se preparando para deixar a Corte depois do julgamento dos últimos recursos do mensalão. Além disso, como revelou o Estado nesta semana, o pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, está tentando de aproximar do ministro para que ele dispute o Senado pela sua legenda.

Nesta tarde, contudo, Barbosa desconversou sobre a possibilidade de sua candidatura e chegou a afirmar que essa hípótese seria "conversa". Em nota divulgada pela assessoria do STF no sábado, contudo, o ministro afirmou que pretende deixar a Corte antes de completar 70 anos. Atualmente ele tem 59 anos.

Em relação aos recursos do mensalão, a previsão inicial é que, em abril, o Supremo encerre a votação deles. O mês também será o prazo final para o ministro se filiar a um partido e disputar as próximas eleições de outubro.

Mensalao