João Ricardo/PTB
João Ricardo/PTB

Não somos de abandonar companheiros feridos, diz Jovair sobre Cristiane

Líder do PTB garante que partido manterá indicação de deputada para o Ministério do Trabalho independente da pressão para trocar nome

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

06 Fevereiro 2018 | 19h26

O líder do PTB na Câmara, deputado Jovair Arantes (GO), disse nesta terça-feira, 6, que o partido mantém a indicação de Cristiane Brasil para assumir o Ministério do Trabalho. "Não somos de abandonar companheiros feridos no meio da luta, então nós vamos até o fim", disse o líder após reunir a bancada.

Jovair admitiu que a situação gera desconforto, mas que a bancada considera que a deputada tem competência e condição para comandar a pasta. "Nós temos um problema de Justiça, então é a Justiça que tem que resolver", afirmou. Segundo o líder, a decisão de manter a indicação da Cristiane foi unânime na bancada. "Nós entendemos que Cristiane merece o respeito da bancada."

++ Ato de nomeação de Cristiane Brasil é ‘legítimo e válido’, defende ex-chefe da AGU

++ Cristiane Brasil não vai à Câmara essa semana para evitar desgaste

Como mostrou o Estado, a deputada não veio esta semana a Brasília e, portanto, não participou da reunião. O pai dela, Roberto Jefferson, que preside o PTB, também não compareceu ao encontro. Após a reunião, a bancada também soltou uma nota. No texto, os deputados afirmam acreditar que o Poder Judiciário está interferindo em uma prerrogativa do presidente da República de indicar ministros de Estado.

 

Apesar da posição enfática do líder, parlamentares do PTB têm defendido, reservadamente, que o caso já gerou muito desgaste ao partido e que o ideal seria indicar outro nome para o cargo. Além de a posse de Cristiane estar barrada pela Justiça há cerca de um mês, no final de semana surgiram novas acusações contra Cristiane que ampliaram o imbróglio em torno da indicação. Conforme revelou o Estado no último sábado, Cristiane é alvo de um inquérito que apura suspeitas de associação com tráfico durante a campanha eleitoral de 2010.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.