1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Copa 2014

'Não me enfraquece', diz Dilma após ofensas na abertura da Copa

Tânia Monteiro, Lilian Venturini e Daiene Cardoso - O Estado de S. Paulo

13 Junho 2014 | 12h 10

Presidente reage a manifestações, diz que xingamentos não vão intimidá-la e defende a educação do 'povo brasileiro'

Ed Ferreira/Estadão
Dilma discursa durante evento em Brasília

Atualizado às 16h

Brasília - A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira, 13, que as vaias e xingamentos não vão enfraquecê-la. "Podem contar que isso não me enfraquece", disse a presidente após ser alvo de protestos durante a cerimônia de abertura da Copa do Mundo, nessa quinta-feira, 12, em São Paulo.

"Não vou me deixar perturbar por agressões verbais. Não vou me deixar, portanto, atemorizar por xingamentos que não podem ser sequer escutados pelas crianças e pelas famílias", afirmou Dilma sob aplausos, na inauguração do trecho sul do Expresso DF, uma das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Grandes Cidades no Distrito Federal.

Por três vezes, durante a cerimônia de abertura e o jogo da selação brasileira, parte dos torcedores um coro ofensivo à presidente, gritando "Ei, Dilma, vá tomar no c...". A primeira após ela chegar ao estádio, a segunda depois da execução do hino nacional e a terceira no finalzinho da partida.

A presidente chegou ao evento desta sexta acompanhada do governador Agnelo Queiroz, do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, e do ministro das Cidades, Gilberto Occhi. Dilma foi recebida na inauguração do BRT por uma plateia formada por operários da obra, além de militantes petistas e peemedebistas.

Durante a sua fala, Dilma fez menção ao seu passado de militante política e ao período em que ficou presa durante a ditadura militar. "Eu suportei, não foram agressões verbais, foram agressões físicas. Suportei agressões físicas que, quero dizer pra vocês, quase insuportáveis." E complementou: "Nada me tirou dos meus compromissos nem do caminho que tracei para mim mesma".

No encerramento do discurso, a presidente afirmou que não vai se deixar "intimidar" pelos xingamentos. "Eu não me abaterei por isso. Não me abato e não me abaterei." "Eu sei uma verdade. Eu tenho consciência dela, porque conheço o caráter do povo brasileiro e o povo brasileiro não age assim, não pensa assim. O povo brasileiro é um povo civilizado, generoso e educado", finalizou.

Após a partida da seleção brasileira, assessores da presidente em Brasília afirmaram que a hostilidade contra ela no estádio já era esperada mas que a agressividade surpreendeu. Na noite dessa quinta, em entrevista a um programa de TV, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho,  que a reação era dirigida a "qualquer autoridade" e não especificamente contra a presidente.

Copa 2014

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo