'Não acho que haja demora ou tentativa de se protelar leitura da denúncia', diz Moraes

Ministro do Supremo comandou a Justiça, no governo Temer, até fevereiro deste ano

Marcelo Osakabe, O Estado de S.Paulo

25 Setembro 2017 | 21h16

BRASÍLIA - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, afirmou nesta segunda-feira não ver uma tentativa do Congresso de protelar o julgamento da denúncia contra o presidente Michel Temer. Segundo Moraes, a demora na leitura da denúncia na Camara, um dos primeiros passos protocolares da tramitação da denúncia, se deve a uma questão de calendário.

"Quem acompanha o Legislativo sabe que sexta-feira e segunda-feira dificilmente haveria quórum de um décimo dos deputados", disse o ministro, sobre as duas tentativas de leitura da denúncia no plenário. "Não acho que haja demora ou tentativa de se protelar" a tramitação, continuou.

Moraes participou do evento de lançamento de livro de Rodrigo Capez, juiz auxiliar do ministro Dias Toffoli e irmão do deputado estadual Fernando Capez (PSDB). Também estiveram presentes o ministro Toffoli, o ex-ministro do STF Nelson Jobim, o vice-governador de São Paulo, Márcio França (PSB), e o ex-deputado Gabriel Chalita (PMDB).

Questionado sobre um possível fatiamento da denúncia contra Temer na Câmara, o ministro se limitou a dizer que este é um assunto para os congressistas. "Quem tem que decidir isso é a Câmara, eu não posso me manifestar até porque eventualmente, pode existir um mandado de segurança contra a decisão, que o Supremo tenha que se posicionar." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.