1. Usuário
Assine o Estadão
assine
Eleições 2014

Na TV, Lula fica fora do programa de Dilma pela 1ª vez

WLADIMIR E STEFÂNIA AKEL - Estadão Conteúdo

28 Agosto 2014 | 14h 44

A propaganda se concentrou no tema da saúde, apresentou programas realizados pelo governo do PT e propôs novos projetos

Divulgação
Pela primeira vez, Lula não apareceu no programa de Dilma

Assim como no programa de rádio desta quinta-feira, 28, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou de fora da propaganda eleitoral da presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, na televisão. A propaganda se concentrou no tema da saúde, apresentou programas realizados pelo governo do PT e propôs novos projetos caso Dilma consiga um novo mandato - sem qualquer imagem ou fala do ex-presidente, até aqui o principal cabo eleitoral de sua campanha.

O programa de Marina Silva, candidata do PSB, exibiu trechos do debate entre os presidenciáveis realizado na terça-feira. Aécio Neves (PSDB) trouxe novamente o tema educação de jovens e voltou a falar sobre o Poupança Jovem.

Antes de levantar o tema saúde, o programa eleitoral de Dilma apresentou vídeos do debate veiculado pela TV Bandeirantes. Entre os trechos escolhidos estavam intervenções da candidata sobre integração das polícias na operação de segurança da Copa do Mundo, investigações da Polícia Federal (PF) contra a corrupção, a importância da Petrobras e a defesa de que o País está preparado para um novo ciclo de crescimento.

No restante da propaganda, a presidente destacou o programa Mais Médicos, além de citar outras ações do governo federal na área de saúde. A petista apareceu em uma conversa com médicos brasileiros e cubanos empregados na rede pública e o ministro da Saúde, Arthur Chioro. "O mais urgente agora é combater a demora na realização de exames e consultas com especialistas", disse a candidata, antes de apresentar o programa Mais Especialidades. Pela primeira vez, Lula não apareceu no programa de Dilma.

A campanha de Marina Silva mostrou no programa eleitoral trechos do debate de terça-feira com comentários de eleitores que assistiam o embate em suas casas. Os trechos escolhidos destacavam sua proposta de fazer uma "nova política" e críticas à inflação e ao baixo crescimento do País. "A reforma política começa agora. Quem vai ganhar essas eleições é uma nova postura, principalmente a do cidadão brasileiro", disse Marina.

Pouco antes, o programa da candidata no rádio destacou que as conquistas do Brasil nos últimos 20 anos não poderiam ser "fulanizadas". No áudio, ela reconheceu as virtudes de PT e PSDB, mas afirmou que a polarização é um modelo esgotado. O programa apresentou, também, promessas de Marina na área econômica. "Em 2010 nós assumimos o compromisso de manter o tripé de política macroeconômica e temos o compromisso de reconhecer as políticas sociais que são uma conquista", disse, durante o debate e exibido no rádio.

Aécio Neves seguiu o formato do programa do PT e também apresentou um programa temático na propaganda de hoje na TV. O candidato aparece em uma conversa rodeado por jovens de Salvador que não concluíram o ensino fundamental e estudantes receosos quanto ao futuro. O tucano disse que a evasão escolar é um grave problema na educação brasileira e, para combatê-la, o Estado fará uma poupança para estimular os alunos a se manterem na escola.

Pelo programa, chamado de Poupança Jovem, o estudante recebe uma quantia anual do governo, que só poderá ser resgatada ao fim dos estudos. A meta, segundo Aécio, é criar o Poupança Jovem em 2015 nos dez Estados com maiores índices de evasão escolar e, em 2017, ser ampliado para todo o País.

Eleições 2014