Quetila Ruiz/Estadão
Quetila Ruiz/Estadão

Na posse, governador de Rondônia diz que priorizará a Saúde

Durante discurso, Confúcio de Moura disse que adotou diversas políticas públicas voltadas para as necessidades do povo, em seu primeiro mandato

Quetila Ruiz, Especial para O Estado

01 Janeiro 2015 | 15h56

O governador Confúcio Moura (PMDB) reeleito com 419.928 votos, 53,43% dos votos válidos na sua posse falou sobre seus planos para os próximos quatro anos de governo, mudanças e parcerias em sua administração. e que vai priorizar o setor de saúde. Em seu discurso, Confúcio relatou que nos primeiro quatro anos de mandato, adotou diversas políticas públicas voltadas para as necessidades do povo, com forte parceria com todos os municípios, ouvindo as vozes dos prefeitos, suas aflições e sua escassez de recursos. A posse sofreu um sensível atraso, por falta de energia, por mais de três horas na região do Teatro.

Confúcio falou que seguirá com seu projeto de melhoria. "Rondônia vai bem. A nossa receita própria em 2012 cresceu 2,17%, em 2013 5,58% e em 2014 13,46%. Em 2013 Rondônia teve o maior crescimento nacional em torno de 6,9%. Nos precatórios a economia para o Estado foi no montante de 334 milhões de reais. Nas execuções fiscais o ganho para Estado foi de 100 milhões de reais. Em 2014, os processos em primeiro grau tiveram uma economia de 146 milhões de reais. Na dívida ativa, com a lei dos Protestos de títulos, arrecadamos 18 milhões de reais.", enfatizou o governador.

Prioridade. O governador reeleito também relatou que seus projetos para as áreas de habitação, agricultura, regularização fundiária, piscicultura, asfalto urbano, águe e esgoto, entre outros, continuaram a ser desenvolvidos. Mas a sua prioridade será na área da saúde pública. "Nosso grande projeto é o Hospital de Urgência e Emergência, com melhorias nos atendimentos, diminuição de filas de espera para consultas especializadas, rotatividade nas internações hospitalares e volume de cirurgias", reforçou Confúcio.

Confúcio ressaltou que em seu novo mandato irá colocar em prática a transparência e simplificação. "Queremos segurar a chave do cofre. Não gastar com besteiras, viagens sem necessidade, consultorias inúteis, controlar os gastos. Não poderemos nos deixar aprisionar pela infernal máquina burocrática, nesta corrida de obstáculos, na qual a viabilização de uma solução é travada até o limite da desistência. Dando a entender que é melhor para o gestor não fazer do que chamar pra si a responsabilidade de fazer."

Corrupção. Em relações as diversas operações policiais, tendo como principal a operação Plateias, deflagrada pela Polícia Federal em novembro deste ano, que tinha como objetivo investigar uma organização criminosa, formada por lobistas e agentes públicos, responsável por desvio de verbas públicas e direcionamento de licitações no Governo de Rondônia, Confúcio Moura relatou que os culpados deverão ser punidos.

"Vamos endurecer o caldo. Se algum integrante do nosso governo cair em comprovada tentação e errar, será substituído. Responderá pelos seus atos na Justiça, com direito ao devido processo legal, ao contraditório e a ampla defesa. Não serei conivente e nem porei panos quentes. Quem errar, não fica no meu governo. E pagará pelo seu erro.", reforçou Confúcio.

Logo após a solenidade de posse do Governador Confúcio Moura (PMDB) e seu vice Daniel Pereira (PSB), foi realizada a posse dos secretários e diretores de autarquias estaduais.

Histórico. Confúcio Aires Moura que é de Dianópolis (TO), tem 66 anos e trabalhou como policial militar, de 1967 a 1976, em Goiânia. Em 1975 formou-se em medicina pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e chegou a Rondônia, em 1976, para trabalhar como médico no governo do então Território Federal de Rondônia. É casado, tem duas filhas. Declarou à Justiça Eleitoral um patrimônio de pouco mais de R$ 6,5 milhões.

Em 1983 fundou o diretório do PMDB em Ariquemes e presidiu de 1983 a 1985 e de 1990 a 1994. Ocupou o cargo de secretário de Saúde de Rondônia entre 1987 e 1988. O primeiro cargo eletivo começou a exercer em 1995, como deputado federal, e foi reeleito por mais duas vezes (1998 e 2002).

No ano de 2004 se afastou da Câmara Federal para disputar a eleição de prefeito de Ariquemes, sendo eleito com 49,7% dos votos válidos. Em 2008 foi reeleito e renunciou ao mandato no ano de 2010 para concorrer ao governo de Rondônia em 2010. Moura foi eleito governador do estado no segundo turno, ele recebeu 58,68% dos votos válidos, contra 41,32% do governador João Cahulla (PPS).

Mais conteúdo sobre:
posse 2015 Rondônia Confúcio Moura

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.