1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Na CCJ, Gleisi e Aloysio batem boca sobre setor elétrico

RICARDO BRITO - Agência Estado

19 Março 2014 | 12h 53

Mais uma vez desde que deixou a chefia da Casa Civil, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) bateu boca com o líder do PSDB na Casa, Aloysio Nunes Ferreira (SP). Nesta quarta-feira, 19, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Gleisi disse ser leviana a afirmação do tucano de que o governo Dilma desestruturou o setor elétrico e cobrou dele que retirasse a fala, tida por ela como "sem base" e "sem procedência".

O líder do PSDB, que tem travado frequentes embates com Gleisi no plenário e nas comissões, retrucou, com o dedo em riste: "Você não está aqui para me policiar. Não é superior a ninguém. Você deveria ter me pedido um aparte. Por que não me aparteou? A senhora não queira me policiar! A senhora não tem nenhum tipo de autoridade para me policiar. Eu falo o que eu quiser." O tucano disse que a presidente Dilma Rousseff e a "senhora", como ministra da Casa Civil, participaram da "pauta bomba" que prejudicou o setor.

A ex-ministra replicou, dizendo ser igual ao tucano e não estava reivindicando "nenhuma superioridade". "A educação também faz parte do nosso debate. É uma afirmação leviana", afirmou ela, ao ressaltar que o tucano não dispunha de números para sustentar tal afirmação. A senadora, que deve ser candidata ao governo do Paraná, afirmou que os governos do PT pegaram "um setor elétrico desestruturado".

Ao pedir para retirar o que havia dito, Aloysio Nunes Ferreira ironizou Gleisi. "Foi uma maravilha, o setor elétrico está uma maravilha."