MST e MSL invadem três fazendas no interior paulista

Manifestantes cobram agilidade na reforma agrária e criticam proposta do governo de alterar as regras da aposentadoria

José Maria Tomazela, O Estado de S. Paulo

07 Setembro 2017 | 18h11

 

Sorocaba – Integrantes do Movimento Sem Terra (MST) invadiram duas propriedades rurais e interditaram uma rodovia, neste quinta-feira, 7, feriado nacional pelo Dia da Independência do Brasil, no interior de São Paulo. Uma fazenda foi ocupada por 250 militantes em Presidente Epitácio, no Pontal do Paranapanema. A outra propriedade, pertencente a uma usina de álcool, foi tomada em São João do Pau D'Alho, região noroeste do Estado.

Antes de ocupar a área, cerca de 200 sem-terra, segundo a Polícia Militar, interditaram a Rodovia Euclides de Oliveira Figueiredo (SP-563), em Andradina. A rodovia ficou fechada durante duas horas.

Uma terceira fazenda foi ocupada pelo Movimento Social de Luta (MSL) em Rancharia, no oeste paulista. Cerca de 100 famílias acamparam na propriedade. O MSL é alinhado com o MST.

Em todas as ações, os sem-terra cobraram agilidade na reforma agrária e protestaram contra a proposta do governo Temer de mudar as regras da aposentadoria.

Nas manifestações, as lideranças dos movimentos fizeram referência à mobilização marcada para o próximo dia 13, quando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestará depoimento ao juiz Sérgio Moro, na Justiça Federal, em Curitiba (PR), sobre denúncias de ter recebido propinas da Odebrecht.

Em defesa de Lula, os movimentos organizados na Frente Brasil Popular e na Frente Resistência Democrática irão se concentrar no Paço da Liberdade, no centro de Curitiba, como fizeram no primeiro depoimento de Lula, em maio.

Mais conteúdo sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.