WILTON JUNIOR/ESTADÃO
WILTON JUNIOR/ESTADÃO

MPF denuncia Picciani e deputados do PMDB

Parlamentares são acusados de receber propina para favorecer empresas do setor de construção e concessionárias de transporte público

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

07 Dezembro 2017 | 10h27

RIO - O Ministério Público Federal (MPF) denunciou os deputados da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi , todos do PMDB, na noite da quarta-feira, 6. A ação penal foi protocolada ao Tribunal Regional Federal da 2.ª Região (TRF-2). Além dos deputados, que estão presos preventivamente, também foram denunciadas outras 16 pessoas por corrupção  e outros.

A denúncia foi consequência da primeira investigação ligada à Operação Lava Jato contra pessoas com foro na 2.ª instância do Judiciário federal. A abertura de processos desse tipo precisa de acolhimento pela 1.ª Seção do TRF-2.

Alvos da operação da Polícia Federal Cadeia Velha, os três parlamentares foram presos no dia 16 de novembro, soltos no dia seguinte e encarcerados novamente no dia 21, por ordem do TRF-2. Eles estão na Cadeia Pública José Frederico Marques, em Benfica, onde ficam também presos da Lava Jato no Rio, como o ex-governador do Rio Sérgio Cabral (PMDB).

Os deputados são acusados de receber propina para favorecer empresas do setor da construção e concessionárias de transporte público, em troca de decisões favoráveis no Legislativo fluminense. O Estado, que vive uma grave crise fiscal, teria deixado de receber R$ 183 bilhões,  em decorrência de benefícios fiscais em favor de empresas envolvidas no suposto esquema de corrupção existente desde os anos 90, segundo o MPF. Os deputados presos negam as acusações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.