Morre ex-governador do Piauí e ex-senador Lucídio Portela

Político tinha 93 anos e era sogro do atual presidente do PP, senador Ciro Nogueira

Luciano Coelho, especial para O Estado de S. Paulo

31 Outubro 2015 | 15h30

TERESINA - O ex-governador do Piauí Lucídio Portela Nunes morreu nessa sexta-feira, 30, em Teresina, aos 93 anos. Ele estava internado em uma clínica de Teresina, com um quadro de insuficiência renal crônica. A causa da morte teria sido causada por uma para cardíaca. O corpo do ex-governador foi velado na Assembleia Legislativa do Piauí.  

 

Lucídio Portela nasceu no dia 8 de abril de 1922, em Valença do Piauí, e foi governador do Piauí de 1979 a 1983. Ele foi vice-governador entre os anos de 1987 e 1991. Também foi senador por um mandato entre os anos de 1991 e 1999. O ex-governador era formado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e era o irmão mais velho do também ex-governador Petrônio Portela Nunes. 

 

Lucídio Portela foi o último governador do Estado eleito pelo voto indireto. Ele deixou o governo em 15 de março de 1983. O partido do ex-governador, o PDS, foi extinto em 1993. A sigla deu origem ao Partido Progressista Reformador (PPR), que pouco depois passou a se chamar Partido Progressista Brasileiro (PPB), hoje Partido Progressista (PP). O PP é presidido pelo senador Ciro Nogueira (PI), genro de Nunes. O ex-governador era casado com Myriam Portella, com quem teve uma filha, Iracema Portella, mulher de Ciro Nogueira. Iracema é deputada federal, também pelo PP.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.