1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Miocardiopatia causou a morte de Malhães, diz guia de sepultamento

Thaise Constancio - O Estado de S. Paulo

26 Abril 2014 | 14h 33

Suspeita inicial era de que ele tinha morrido de asfixia, pois apresentava sinais de cianose

RIO - A Guia de Sepultamento do coronel da reserva do Exército Paulo Malhães apontou como causa mortis "edema pulmonar, isquemia do miocárdio, miocardiopatia hipertrófica e evolução de estado mórbido (doença)".

Malhães foi encontrado morto na quinta-feira no sítio em que morava em Marapicu, zona rural de Nova Iguaçu, vítima de um assalto. O crime aconteceu pouco mais de um mês após ele admitir ter visto e participado de torturas, homicídios e sumiço de corpos durante a ditadura militar.

O coronel foi provavelmente asfixiado até a morte por três homens que invadiram sua casa e o mantiveram prisioneiro por cerca de nove horas. Malhães foi encontrado no próprio quarto. O corpo estava de bruços, com o rosto contra um travesseiro e apresentava sinais de sufocamento.

A Polícia Civil não descarta nenhuma possibilidade para a morte do coronel, desde homicídio por motivo de vingança a latrocínio (roubo seguido de morte). A possibilidade de a morte ter relação com o depoimento do militar na Comissão da Verdade em março também é investigada.

A filha mais velha de Malhães, afirmou que o pai era hipertenso "o que é normal para a idade".