Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Ministros terão maratonas de conversas na Câmara, diz Guimarães

Líder do governo na Casa anunciou estratégia de reaproximação do Palácio do Planalto com o Congresso

Daiene Cardoso e Ricardo Della Coletta, O Estado de S. Paulo

10 Fevereiro 2015 | 14h06

Brasília - O líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), anunciou nesta terça-feira, 10 que ministros visitarão pelo menos uma vez por semana a Casa para conversar com deputados. A estratégia faz parte da iniciativa de reaproximação entre o Palácio do Planalto e a base aliada na Câmara. "Estamos atuando em várias frentes para recompor a governabilidade", disse o líder.

O primeiro a conversar com a base será o ministro da Educação, Cid Gomes, nesta quarta, 11. Guimarães explicou que sua missão como novo líder do governo é aprimorar a desgastada relação com o Executivo e uma das demandas dos parlamentares era o contato direto com os ministros. Segundo o petista, o objetivo é construir, de forma pacífica, uma agenda política para o Congresso e para a relação com o governo. "Aqui não pode ser o jogo de mata-mata. Tem de pensar mais no País e menos nas disputas partidárias aqui dentro", justificou.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), informou que pretende estabelecer uma rotina de diálogo com os ministros às quintas-feiras, durante todo o ano, a partir de março. "Vamos aprovar um convite global, vamos fazer o calendário para o ano inteiro. Se eventualmente alguém que foi convidado e sem motivação ou uma razão de força maior, se recusar a comparecer, pode ser que o plenário entenda por convocá-lo. Mas o objetivo é o debate", explicou o peemedebista.

Cunha revelou que pretende trazer todos os ministros pelo menos uma vez no ano para que eles possam apresentar os trabalhos em execução das pastas. "Não tem reação nenhuma, isso é fazer o que Parlamento tem que fazer: debater".

Mais conteúdo sobre:
José Guimarães PT Câmara dos Deputados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.