Ministro de Transporte demite petista do segundo escalão

PT cobra reação de Berzoini; vaga vai para o técnico Marcelo Perrupato

Agencia Estado

15 Junho 2007 | 02h40

Na briga pelos cargos de segundo escalão, o PT perdeu mais uma vaga. Sem alarde, o ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, do PR, demitiu o petista José Augusto Valente da Secretaria de Política Nacional de Transporte. Para o lugar nomeou o técnico Marcelo Perrupato, que em todos os governos passados - desde José Sarney (1985 a 1990) - exerceu cargos em órgãos do setor de transporte e nos Correios. O PT ficou muito irritado com a decisão de Nascimento. Não só pela demissão de um filiado importante, ligado à Secretaria Nacional de Movimentos Populares e ao setor de transportes do partido, mas porque o desligamento se deu quando Valente estava em férias. A Secretaria de Movimentos Populares exigiu reação por parte do presidente do partido, deputado Ricardo Berzoini (SP). No Ministério dos Transportes, a informação é de que não há volta. Valente está fora. Para registrar o seu protesto, a secretaria petista divulgou nota na página do PT na internet. Avisou que, além de Valente, no Ministério dos Transportes há "um valoroso grupo de petistas" que integra os quadros da pasta desde o início do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, tendo participado de toda a elaboração da política de transportes para o País. Coalizão "No governo de coalizão, o PT espera continuar compartilhando responsabilidades na gestão das políticas de transportes, e indicou nomes ao ministro Alfredo Nascimento e à comissão constituída pelo presidente Lula para arbitrar o preenchimento das funções nos ministérios e órgãos da administração", diz a nota. No documento, a secretaria informou que tentou manter Valente no cargo e, na eventualidade de sua dispensa, ofereceu um outro nome. O indicado foi o coordenador de Transportes da sigla, Rômulo Orrico Filho. "Tinham, portanto, o ministro e o governo, conhecimento deste pleito do PT, respaldado no desempenho destes petistas na elaboração e execução das políticas de transportes do governo federal", segue a nota. Ao lamentar a "sumária exoneração de Valente, em pleno gozo de suas férias e sem prévia comunicação ao partido", a secretaria petista deixou claro que pretende levar o assunto adiante. A intenção é trazer o tema da "futura relação do PT com o Ministério dos Transportes" para discussão na Executiva Nacional do PT.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.