1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Ministro da Saúde é exonerado para assumir cargo em universidade

Atualizado às 13h45 - Marcelo de Moraes e Sandra Manfrini

21 Fevereiro 2014 | 08h 08

Demissão, 'a pedido', foi publicada no Diário Oficial desta sexta e Arthur Chioro voltará à pasta quando se licenciar da nova função, segundo informou o ministério

Nomeado para comandar o Ministério da Saúde em 3 de fevereiro, Arthur Chioro vai deixar temporariamente a pasta. A exoneração foi publicada no Diário Oficial desta sexta, 21, e ocorreu "a pedido" para Chioro assumir o cargo de professor na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ele foi aprovado em concurso e não poderia tomar posse em razão do vínculo com o ministério. Após formalizar a contratação na universidade e se licenciar do cargo, Chioro vai reassumir o comando da pasta.

Chioro foi escolhido pela presidente Dilma Rousseff para assumir o lugar de Alexandre Padilha (PT), que deixou o ministério para disputar o governo de São Paulo. Chioro é filiado ao PT e era secretário de Saúde em São Bernardo do Campo. Mozart Sales, secretário de Gestão da Educação e Trabalho na Saúde, responde interinamente pela pasta.

De acordo com a assessoria de imprensa do ministério, a exoneração foi um ato burocrático. Ao tomar posse na Unifesp, Chioro pedirá licença do cargo na instituição para voltar à pasta. A expectativa é de que ainda nesta sexta saia uma edição extra do Diário Oficial da União com a renomeação.

Em nota, a Unifesp informou que Chioro foi nomeado professor adjunto do departamento de Medicina Preventiva no dia 30 de janeiro. Ele ministraria a disciplina de Política, Planejamento e Gestão em Saúde. O concurso foi realizado em dezembro de 2012 e a liberação da vaga ocorreu em novembro de 2013. "Diante do pedido da Casa Civil da Presidência da República à Unifesp, o professor foi cedido ao Ministério da Saúde para ocupar o cargo de ministro", afirma a universidade. / Colaboraram Vera Rosa e Lilian Venturini