Dida Sampaio/ Estadão
Dida Sampaio/ Estadão

Manifestação em Brasília atrai apenas 630 pessoas, ante expectativa de 100 mil

O volume de manifestantes era praticamente o mesmo do efetivo deslocado para fazer a segurança durante a manifestação

André Borges, O Estado de S.Paulo

26 Março 2017 | 11h50

BRASÍLIA - Apenas 630 pessoas compareceram neste domingo, 26, à Esplanada dos Ministérios, para a manifestação organizada pelo Movimento Vem Pra Rua. A quantidade de manifestantes foi informada pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. O número foi um fiasco, se tomada por base a expectativa dos organizadores, que pediram à secretaria um efetivo capaz de atender a 100 mil pessoas.

O volume de manifestantes era praticamente o mesmo do efetivo deslocado para fazer a segurança durante a manifestação. Cerca de 600 profissionais foram escalados para o evento, sendo a maior parte deles vinculada à segurança pública.

No carro de som, para os poucos se dispuseram a encarar o sol forte na Esplanada, os organizadores protestavam em defesa da Operação Lava Jato e criticavam a aprovação do novo projeto de terceirização. O fim do foro privilegiado de parlamentares e dos votos em lista fechada também eram lembrados aos gritos durante o protesto.

No gramado, em volta do “pixuleco”, boneco usado para fazer referência o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um grupo de jovens preferiu se entreter com um jogo de “frisbee”, lançando discos de plástico ao redor do boneco inflável. Muitos pedalavam pela Esplanada, passeio comum durante os fins de semana em Brasília.

Em frente ao Congresso, os manifestantes exibiram imagens de lápides de isopor com as fotos de diversos políticos, entre eles o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e do presidente do Senado, Eunício Oliveira.

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informou que a manifestação ocorreu de forma pacífica. Os dois sentidos do Eixo Monumental, onde ficam os ministérios, estiveram fechados para veículos entre 23h de sábado e 12h40 deste domingo.

A destinação de 600 agentes de segurança, segundo a Secretaria de Segurança Pública do DF, “foi definida de acordo com a estimativa de público dada pelos organizadores à SSP-DF, em torno de 100 mil pessoas”.

Duas linhas de revistas pessoais foram feitas pela Polícia Militar – uma na altura da Catedral e outra no gramado em frente ao Congresso Nacional. Nenhum material ilícito ou inapropriado para o evento foi encontrado pelos policiais militares. “O procedimento geralmente é adotado em manifestações populares e grandes eventos para evitar a presença de objetos que possam oferecer riscos à integridade física dos próprios participantes e aos patrimônios públicos e particulares”, declarou a SSP.

Mais conteúdo sobre:
Operação Lava Jato Brasília

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.