1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Manifestação em apoio a Lula reúne dezenas no Jardim Botânico

- Atualizado: 06 Março 2016 | 18h 53

Além de cartazes e faixas, manifestantes portam uma réplica de jararaca; filha do ex-presidente participa do ato

Lurian Lula da Silva, filha do ex-presidente Lula, mostra o dedo, dizendo que não fala com a mídia golpista

Lurian Lula da Silva, filha do ex-presidente Lula, mostra o dedo, dizendo que não fala com a mídia golpista

RIO - Dezenas de manifestantes se reuniram na manhã deste domingo em frente à sede da Rede Globo, no Jardim Botânico, no Rio, em protesto contra a emissora e em apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo de uma condução coercitiva (quando a pessoa é obrigada a depor) na última sexta. Além de cartazes e faixas, os manifestantes trouxeram uma réplica de jararaca, em referência à declaração de Lula após depor à Polícia Federal.

"Se quiseram matar a jararaca, não bateram na cabeça, bateram no rabo. A jararaca está viva", disse o ex-presidente em entrevista coletiva na sede do diretório do PT em São Paulo na sexta.

Uma das presentes ao manifesto é a filha do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Lurian Cordeiro Lula da Silva. Ela se recusou a falar com o Estado e acenou com o dedo do meio. "Aqui para vocês, eu não falo com mídia golpista."

O presidente do PT no Rio, Washington Quaquá, afirmou que Lula foi "sequestrado" pelo juiz Sérgio Moro, que autorizou a ação da PF, e isso proporcionou também o "sequestro da democracia". "Agora, teremos que construir uma nova democracia", disse.

Ato em apoio a Lula reuniu dezenas no Rio

Ato em apoio a Lula reuniu dezenas no Rio

Quaquá destacou ainda que o PT, antes fragmentado, está mais unido do que nunca após o ocorrido na sexta e prometeu mais manifestações. "O ataque ao Lula mexeu com os brios do PT e da esquerda", disse.

Os manifestantes ainda pedem reação da presidente Dilma Rousseff. Diversos veículos que passam pelo local manifestaram apoio e balançaram bandeiras do PT, enquanto outros fizeram sinal de desaprovação. O clima é pacífico. A organização aguarda mil pessoas no protesto que deve se estender até o meio-dia. No Facebook, havia cerca de 270 confirmados para o evento. A Polícia Militar estima 70 pessoas presentes.

Um dia após Lava Jato, militantes exaltam Lula
Fernanda Cruz/Agência Brasil
Em frente ao apartamento

Dezenas de pessoas se concentraram em frente ao imóvel do ex-presidente em São Bernardo em uma vigília iniciada às 9 horas de sábado, 5

Os manifestantes começaram a chegar 40 minutos antes do horário marcado para o protesto. Um ônibus trouxe pessoas de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, e um carro de som posicionado em frente à sede da emissora. Desde o início, elas bradavam palavras contra a Rede Globo. Em discursos, reclamavam sobre a transformação de uma concessão pública de TV em "um partido facista".

O ex-ministro Edson Santos, que ocupou a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial no segundo mandato de Lula, comparou o momento atual ao "golpe que levou Getulio Vargas ao suicídio".

Após depoimento de Lula, Instituto e diretórios são alvos de vandalismo
Márcio Fernandes/Estadão
Após depoimento de Lula, Instituto e diretórios são alvos de vandalismo

Investigado por suspeita de ter recebido presentes milionários de empreiteiras que formaram cartel na Petrobrás entre 2004 e 2014, o ex-presidente Lula, que prestou depoimento na última sexta-feira, foi alvo de revolta de parte da população brasileira e alguns locais significativos para o petista foram pichados com ofensas a ele. LEIA MAIS

A candidatura de Lula à Presidência da República em 2018 também é aclamada pelos presentes, para quem o líder é o único nome forte para a disputa. Para Quaquá, será uma oportunidade de executar reformas ainda não realizadas pelo PT, como a tributária e da mídia.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX