1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Lula sugere constituinte exclusiva para reforma política

JOSÉ ROBERTO CASTRO, MARIO BRAGA E GABRIELA LARA - Agência Estado

08 Abril 2014 | 13h 12

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, 8, que a principal reforma que o Brasil precisa fazer é a política. "Sem essa, todas as outras serão mais difíceis", revelou em entrevista a blogueiros. Lula disse, no entanto, estar convencido de que "este Congresso" não a fará. "É muito difícil que a pessoa mude seu status quo. A pessoa foi eleita assim, está acostumada."

Lula também disse que, hoje, é totalmente favorável a uma Constituinte exclusiva para fazer a reforma política. "Acho que não tem outro jeito", opinou. Segundo o ex-presidente, o Congresso é o retrato da sociedade brasileira no dia da eleição. "O que nós precisamos é mudar o sistema de representação. Acho que a reforma política é a principal forma para tentar moralizar a política brasileira", explicou.

Na entrevista, Lula defendeu o financiamento público de campanha como sendo o modo mais barato e honesto de angariar recursos para os partidos. "É (a melhor maneira de) o cidadão saber quanto custa cada centavo da campanha, e depois o partido que se responsabilize por distribuir esse recurso", disse. "Acho que é mais honesto do que esse sistema que tem hoje que todo mundo pede dinheiro para todo mundo e não presta contas com ninguém."

O ex-presidente também criticou a escassez de limites e critérios para a formação de partidos no Brasil. "Não pode qualquer amontoado de gente ser um partido político."

Pessimismo e informação

Questionado por blogueiros sobre a onda de pessimismo em relação ao Brasil, o ex-presidente disse que a percepção negativa sobre o País é pior que o mundo real. Comentando as manifestações de junho de 2013, o petista disse que os jovens que foram às ruas estão desinformados em relação ao cenário do Brasil devido ao que é publicado na imprensa nacional. "Hoje em dia não tem debate nas universidades mais. Não tem programa que possa ter alguma informação correta", afirmou.

Segundo o ex-presidente, para se ter acesso a um noticiário "correto" é preciso acessar a internet. Lula defendeu a existência de grupos para monitorar o que é publicado e, posteriormente, pedir direito de resposta. Em seguida, ele disse esperar que seja retomada no País a discussão em torno do marco regulatório da comunicação.

"Acho que perdemos uma tempo precioso em não fazer discussão do marco regulatório da comunicação. Espero que retomemos essa discussão", afirmou. Lula concedeu entrevista a blogueiros na sede do Instituto Lula, em São Paulo. A equipe do Instituto fez questão de dizer que Lula foi o primeiro a dar uma entrevista a blogueiros.