1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Lula minimiza desembarque do PMDB e diz que vai tentar 'coalizão' com sigla

- Atualizado: 28 Março 2016 | 15h 43

Ex-presidente disse que vê com 'muita tristeza' a possibilidade de o PMDB deixar a atual gestão federal

O ex-presidente Lula
O ex-presidente Lula

São Paulo - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que embarca para Brasília nesta segunda-feira, 28, afirmou mais cedo, em entrevista coletiva à imprensa internacional, que pretende conversar com interlocutores do PMDB para tentar contornar o desembarque da legenda do governo Dilma Rousseff, em reunião de sua executiva, marcada para terça-feira, 29. em logo mais.

O petista disse que vê com "muita tristeza" a possibilidade de o PMDB deixar a atual gestão federal, mas relativizou o impacto dessa possibilidade, dizendo que é possível "haver uma espécie de coalizão", sem a concordância das pessoas da direção, evidenciando a possibilidade de tentar buscar apoio na base da sigla.

A previsão é de que seu voo saia às 16 horas. Ele irá acompanhado do presidente do PT, Rui Falcão. "Vou para Brasília conversar com muita gente do PMDB", disse o presidente, segundo jornalistas que participaram da entrevista, destacando que pretende conversar também com o vice-presidente da República, Michel Temer.

Ainda segundo esses jornalistas, o ex-presidente disse conhecer "bem" o PMDB e falou que haveria uma espécie de reedição de 2003, quando este partido integrou sua gestão na Presidência da República. Lula lembrou que o PMDB tem autonomia regional, destacando "a gente nunca teve todo o PMDB".

'Mosca azul'. Em coletiva à imprensa internacional, nesta manhã, o ex-presidente Lula disse que o juiz Sérgio Moro é uma pessoa "inteligente e competente", mas "foi picado pela mosca azul". O petista disse que não está longe o dia em que irão pedir desculpas a ele, segundo relato de jornalistas que participaram da entrevista.

Ao comentar a divulgação dos áudios dos grampos, Lula classificou de "deprimente, pobre e de má-fé".

Sobre as manifestações contrárias ao governo, o ex-presidente falou que pessoas que "enchem pixuleco" nunca votaram no PT e acusou a mídia de estar levando o Brasil a um clima semelhante ao da Venezuela. Na avaliação de Lula, segundo informações dos jornalistas estrangeiros, os pobres poderão ser os salvadores da pátria.

Lula disse também, a exemplo do que afirmou a presidente Dilma Rousseff para a imprensa internacional, na semana passada, que impeachment sem base legal é golpe. "É importante não brincar com a democracia". Segundo o petista, estão usando "falsos argumentos" para encurtar o mandato de Dilma.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em PolíticaX