Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

Política » Lula está empolgado para campanhade Haddad, diz dirigente do PT

Política

Estadão

Lula está empolgado para campanhade Haddad, diz dirigente do PT

Presidente municipal do PT, Paulo Fiorillo, disse que o ex-presidente participou de uma reunião para discutir a estratégia eleitoral na disputa à Prefeitura de São Paulo

0

Ana Fernandes,
O Estado de S. Paulo

05 Fevereiro 2016 | 15h56

SÃO PAULO - O presidente do PT municipal, vereador Paulo Fiorilo, confirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou de uma reunião de estratégia eleitoral para a campanha de reeleição do prefeito Fernando Hadddad nesta quinta-feira, 4. A reunião ocorreu pela manhã no Instituto Lula e durou cerca de duas horas, relata o dirigente. Estiveram presentes, além de Lula e Fiorilo, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o presidente do diretório estadual, Emídio de Souza, o presidente da Câmara de Vereadores, Antônio Donato, e o próprio Haddad.

"O Lula tem todo interessem em participar e vê como fundamental a reeleição de Haddad em São Paulo. Ele está muito empolgado", disse Fiorilo em entrevista ao Broadcast Político. Mais cedo, em evento na capital, Haddad afirmou que o assunto da conversa no instituto foi a conjuntura atual. "Eu me reúno todo mês, às vezes a cada 60 dias, para discutir conjuntura política e econômica, os problemas que o País está enfrentando, soluções possíveis. Foi rotina", afirmou.

Como adiantado pelo Broadcast Político, o prefeito vai dar o pontapé de sua pré-campanha após o carnaval. A primeira prioridade será engajar a militância petista, em especial na periferia, e muni-la de informações para defender a gestão Haddad. Para isso, o partido já programou nove plenárias de prestação de contas dos últimos quatro anos, encontros que contarão com a presença do prefeito.

Lula também sugere que se retome a estratégia de fazer caravanas pela cidade, com foco em reconquistar a preferência que o partido tinha na periferia paulistana. Segundo Fiorilo, discutiu-se organizar caravanas com o prefeito durante os meses de fevereiro a abril. "Vamos reforçar a agenda com foco nas ações desenvolvidas na periferia", afirmou o dirigente.

Coligação

O encontro de ontem também serviu para falar do arco de apoio à Haddad. Hoje, o PT municipal conta com PR, PROS, PDT e PCdoB na coligação de reeleição do prefeito. Esses dois últimos, contudo, vêm flertando com outras prováveis candidaturas, como de Marta Suplicy (PMDB) e de Celso Russomanno (PRB).

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse recentemente em entrevista ao Broadcast Políticoque quer o posto de vice de Haddad para garantir o apoio ao prefeito. Fontes ouvidas pela reportagem relatam que também tem peso nessa negociação a formação da coligação proporcional com espaço para os candidatos a vereador do PDT.

O PCdoB, por sua vez, estaria descontente com a possibilidade de o secretário municipal de Educação, Gabriel Chalita, migrar para o PDT para ser companheiro de chapa de Haddad. Hoje a vice é do PCdoB, com Nádia Campeão. Chalita contudo ainda não decidiu se vai deixar o PMDB.

"O próprio Lula falou que o Chalita é um nome importante, mas precisamos esperar e ver o que vai acontecer", disse Fiorilo. O dirigente diz que, se Chalita quiser, até a porta do PT está aberta para ele, mas admitiu que seria menos interessante ter uma chapa puro sangue na corrida eleitoral.

Chalita acabou isolado no PMDB. Ele é presidente do diretório municipal da legenda, mas é o único da executiva a apoiar a manutenção da aliança com Haddad. Na prática, o partido já embarcou na candidatura de Marta Suplicy. Ele tem até o início de abril para trocar de partido se quiser ser vice do petista.

A avaliação do núcleo petista em torno de Haddad é que o PSD de Gilberto Kassab pode apoiar o PSDB, a depender de quem for o candidato escolhido nas prévias tucanas, ou seguir com Marta. Já o PP pode ser atraído de volta para a formação da coligação, depois da desistência da candidatura do apresentador José Luiz Datena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.