1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Lula entrega camisa da seleção a primeiro-ministro da Itália

Fernando Nakagawa, enviado especial

12 Março 2014 | 13h 22

Ex-presidente teve almoço privado com Matteo Renzi nesta quarta e evitou falar com a imprensa ao deixar encontro; teor da conversa não foi divulgado

Roma - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva almoçou nesta quarta-feira, 12, com o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi. A pauta do encontro classificado como "privado" pela assessoria de imprensa do governo italiano não foi divulgada. Em Roma, o ex-presidente brasileiro usou um forte esquema de segurança e a comitiva contou com cinco carros.

Em uma quarta-feira tensa na política italiana pela grande reunião ministerial convocada pelo novo primeiro-ministro, o acalorado debate político local foi interrompido por pouco mais de uma hora para o almoço com Lula. O encontro não constava na agenda de Renzi por se tratar de encontro "privado", segundo o Palácio Chigi, sede do executivo italiano.

A chegada e a saída da comitiva liderada pelo ex-presidente brasileiro foi cercada por um forte esquema de segurança. Na Praça Colonna, policiais isolaram uma grande área em frente ao edifício do governo para separar jornalistas e turistas dos cinco carros usados pelo grupo. Lula não falou com a imprensa, entrou direto pela garagem e não teve contato com os pedestres que paravam para observar a movimentação dos policiais do lado de fora do Palácio.

Durante o almoço, Lula presenteou Renzi com duas camisas da seleção brasileira. A Itália está no chamado "Grupo da Morte" da Copa do Mundo e terá de enfrentar a Inglaterra na umidade de Manaus e o Uruguai no calor de Natal.

A viagem de Lula para a Itália foi a convite da fabricante italiana de pneus Pirelli. Na terça-feira, o ex-presidente visitou as instalações da empresa em Milão e conversou com a direção da multinacional sobre a situação do Brasil e da América do Sul. A América Latina representa cerca de 35% das vendas globais da Pirelli. No Brasil, a companhia opera cinco fábricas (Santo André, Campinas, Sumaré, Gravataí e Feira de Santana) e emprega mais de 12 mil pessoas, segundo a empresa.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo